Ações de TIM e Vivo disparam com rumor sobre desistência da Highline pela Oi


Do CNN Brasil Business, em São Paulo
31 de julho de 2020 às 18:57 | Atualizado 31 de julho de 2020 às 18:58

Smartphone

A operação de telefonia celular da Oi se tornou alvo de disputas entre as operadoras do país

Foto: Reprodução/Fotos Públicas

Nova reviravolta na novela da venda da operação de telefonia móvel da Oi? A julgar pelo comportamento das ações das envolvidas, os próximos dias podem revelar um novo desfecho.

Em um dia de queda de 2% do Ibovespa, nesta sexta-feira (31), as ações da TIM dispararam 6,42%; e as da Vivo, 2,46%. As duas empresas, junto com a Claro (que pertence à mexicana América Móvil), apresentaram uma nova proposta de R$ 16,5 bilhões pela telefonia móvel da Oi.

A proposta pode ser igualada e coberta pela Highline, uma empresa que atua em infraestrutura de telecomunicações e que pertence ao grupo americano Digital Colony. Mas, segundo o jornalista Lauro Jardim, do jornal O Globo, a Highline teria desistido de fazer uma nova proposta.

Leia também:
TIM diz que acordo com a Oi não é situação de 'matar ou morrer'
Vivo, Claro e Tim voltam à cena e oferecem R$ 16,5 bi pela Oi Celular
Oi ignora oferta de concorrentes e negocia venda para Highline

Há duas semanas, a Oi divulgou que havia acertado um acordo de exclusividade com a Highline, depois que esta havia oferecido uma oferta vinculante que estava acima do valor mínimo estabelecido dentro do processo de recuperação judicial da operadora brasileira, de R$ 15 bilhões.

Essa exclusividade vence na próxima segunda-feira (3).

Na última terça (28), Claro, TIM e Vivo decidiram elevar para R$ 16,5 bilhões a sua oferta pela operação de telefonia móvel da Oi.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook