Ações da Braskem disparam 9% com anúncio de venda pela Odebrecht

Venda da maior petroquímica do país faz parte do plano de recuperação judicial do grupo; valor de mercado era de R$ 18,6 bilhões

Do CNN Brasil Business, em São Paulo
10 de agosto de 2020 às 12:42 | Atualizado 10 de agosto de 2020 às 18:39
Trabalhadores passam em frente a um tanque em uma usina da empresa petroquímica Braskem
Foto: REUTERS/Amanda Perobelli (30/01/2020)

As ações preferenciais da Braskem (BRKM3) lideraram as altas desta segunda-feira (10) no Ibovespa. A valorização do papel ficou acima de 5% praticamente o dia inteiro e fechou a 9,32%. 

O interesse de investidores pela empresa se deve ao fato de que a Odebrecht anunciou ao mercado na sexta (7) à noite que iria retomar o processo de venda da companhia, da qual detém 38,3% do capital total e o equivalente a 50,1% do capital votante.

O valor de mercado da companhia na sexta era de R$ 18,6 bilhões na última sexta.

Leia também:
Odebrecht coloca à venda sua joia da coroa, a petroquímica Braskem
Justiça aprova recuperação judicial da Odebrecht

O dinheiro obtido com a venda da Braskem, caso a operação seja bem-sucedida, deve ser utilizado em parte para pagar credores da Odebrecht. A dívida estimada da empreiteira é de cerca de R$ 100 bilhões, mas a companhia se comprometeu a pagar R$ 54 bilhões em 30 anos.

A Petrobras, segunda maior acionista da petroquímica, já havia manifestado interesse anteriormente em se desfazer de sua participação, que é de 36,1% do capital total e 47% do capital com direito a voto.

Segundo o comunicado na sexta, a Odebrecht adotará "as providências necessárias para organizar um processo dessa natureza, com o apoio de assessores legais e financeiros".

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook