Com cenário político em foco, bolsa fecha em leve queda e dólar sobe a R$ 5,45


Do CNN Brasil Business, em São Paulo
12 de agosto de 2020 às 09:08 | Atualizado 12 de agosto de 2020 às 18:02
Dólar negociado na Bolsa de São Paulo atinge valor recorde

Notas de US$ 100 (20.mar.2019)

Foto: Mohamed Abd El Ghany/Reuters

Depois que dois secretários deixaram o Ministério da Economia, o mercado financeiro brasileiro teve um dia tenso.

O dólar foi o principal canal de manifestação da apreensão de investidores com os rumos da política econômica. A moeda americana subiu 0,70%, aos R$ 5,45.

O real teve um dos piores desempenhos globais na sessão com incertezas sobre o andamento de pautas reformistas.

O dólar chegou aos R$ 5,49 nesta quarta-feira e saiu das máximas depois que o Banco Central interviu e fez duas ofertas líquidas de swaps cambiais.

A autoridade monetária fez dois leilões de contratos de swap cambial – um no fim da manhã e outro no meio da tarde, com venda integral do lote somado de 20 mil contratos (US$ 1 bilhão).

A última oferta líquida de swaps cambiais tradicionais – cuja colocação equivale à venda de dólares no mercado futuro – havia ocorrido em 19 de maio, de US$ 500 milhões. Desde então, o BC vinha se limitando a fazer operações de rolagem desses ativos.

Já o Ibovespa fechou em leve queda, refletindo o momento de cautela e se descolando das altas expressivas nas bolsas no exterior. O principal índice da bolsa brasileira recuou 0,06%, aos 102.117,97 pontos.

Para acalmar o mercado, o presidente Jair Bolsonaro reafirmou pela manhã o compromisso com o equilíbrio das contas públicas e com as privatizações por meio de post no Facebook.

Leia também:
Debandada no governo não afeta solvência da dívida pública, dizem economistas
Para reagir à debandada, Guedes defende avanços de reformas e privatizações

Na esteira das declarações que tentaram minimizar a debandada no Ministério da Economia, Martha Seillier reforçou a importância da retomada da agenda de privatizações. Atualmente secretária especial do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), ela é cotada para assumir a secretaria de Desestatização, antes comandada por Salim Mattar.

Na agenda de resultados corporativos, o dia reserva números de BRF, MRV, Ultrapar, Via Varejo e Marfrig.

Destaques

A Marfrig (MRFG3) fechou em alta de 4,77%, tendo no radar balanço do segundo trimestre após o fechamento. No setor, JBS (JBSS3), que reporta os números na quinta-feira, subiu 2,57% e a Minerva (BEEF3) avançou 1,69%, tendo de pano de fundo ainda a alta do dólar ante o real. A BRF (BRF3)  que também mostra o desempenho trimestre nesta quarta-feira, subiu 1,48%.

A Via Varejo (VVA3) recuou 3,09% antes da apresentação do balanço, pior desempenho entre as ações associadas ao comércio eletrônico, com a BW2 (BTOW3) subindo 0,22% e Magazine Luiza (MGLU3) caindo 1,15%.

A Vale (VALE3) subiu 2,02%, recuperando-se após fechar em queda de 3% na véspera, com o setor de mineração e siderurgia apresentando performance mista, com Usiminas (USIM5) em alta de 1,89%, enquanto a Gerdau (GGBR4) perdeu 0,22% e CSN (CSNA3) recuou 0,79%.

A Petrobras (PETR4) avançou 1,73%, na esteira da alta dos preços do petróleo no exterior. O Brent terminou com elevação de 2,09%.

Lá fora

Em Wall Street, o índice S&P 500 deu um salto nesta quarta-feira e terminou a sessão pouco abaixo de sua máxima recorde de fechamento registrada em fevereiro, em uma ampla recuperação liderada por ações de tecnologia.

O S&P 500 ganhou 1,39%, enquanto o Dow Jones subiu 1,05% e o Nasdaq saltou 2,59%.

O índice chegou a operar acima de sua máxima de fechamento de 3.386,15 pontos registrada em 19 de fevereiro, antes do início da crise do coronavírus nos Estados Unidos, que causou uma das quedas mais dramáticas da história de Wall Street.

Pesos pesados, como ??Microsoft, Amazon e Apple estiveram entre os maiores impulsionadores dos ganhos do S&P 500.

As ações europeias subiram nesta quarta-feira, com uma oferta de aquisição de bilhões de dólares para a empresa suíça Sunrise Communications impulsionando o setor de telecomunicações, enquanto os investidores deixaram de lado um colapso no PIB trimestral do Reino Unido para apostar em uma recuperação impulsionada por estímulos.

O índice FTSEurofirst 300 subiu 1,23%, a 1.455 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 1,11%, a 375 pontos.

Já na China, o mercado acionário recuou pela segunda sessão seguida, após uma piora do sentimento global com dúvidas sobre o pacote de estímulos americano. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,73%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,63%.

(Com Reuters)