Bolsonaro mantém compromisso com teto de gastos após debandada na economia

'Nosso norte continua sendo o teto de gastos e a responsabilidade fiscal', escreve o presidente em suas redes sociais nesta manhã

Raquel Landim
Por Raquel Landim, CNN  
12 de agosto de 2020 às 10:23 | Atualizado 12 de agosto de 2020 às 11:03

O presidente Jair Bolsonaro publicou nesta quarta-feira (12) em suas redes sociais que mantém o compromisso com a responsabilidade fiscal após a debandada no ministério da Economia.

“Nosso norte continua sendo o teto de gastos e a responsabilidade fiscal”, disse o presidente.

Nesta terça-feira (11), os secretários Salim Mattar e Paulo Uebel pediram demissão por causa do atraso nas privatizações e na reforma administrativa, respectivamente. O ministro Paulo Guedes classificou a saída como uma “debandada”.

Leia também:
Apesar de debandada na equipe, Guedes diz a auxiliares que fica no governo
Para Mourão, Salim e Uebel ficaram ‘exasperados’ com lentidão da máquina pública
Salim Mattar, após pedir demissão: 'A política não tem interesse em privatizar'

O presidente Jair Bolsonaro conversa com repórteres no Palácio da Alvorada
Foto: Marcello Casal Jr - 14.mai.2020/ Agência Brasil

Bolsonaro também defendeu as privatizações. “O estado está inchando e deve se desfazer de suas empresas deficitárias, bem como daquelas que podem ser melhor administradas pelas iniciativa privada."

O presidente, no entanto, disse ser “normal” os ministros buscarem “recursos para obras essenciais”, em uma referência às iniciativas de Rogerio Marinho (Desenvolvimento Regional), Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) e Braga Netto (Casa Civil).

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook