‘Temos uma situação fiscal péssima’, diz Mourão

Em entrevista à imprensa, Mourão afirmou que o teto de gastos é a “nossa âncora” ; Bolsonaro também defendeu compromisso com responsabilidade fiscal

Caroline Rosito, da CNN, em Brasília
12 de agosto de 2020 às 10:32
Vice-presidente Hamilton Mourão em Brasília
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil (24/jan/2020)

O vice-presidente Hamilton Mourão comentou  nesta quarta-feira (12) as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a possibilidade de aumentar os gastos públicos.

Em entrevista à imprensa, Mourão afirmou que o teto de gastos é a “nossa âncora” e afirmou que a situação fiscal do país é “péssima”. 

Leia mais:
Para Mourão, Salim e Uebel ficaram ‘exasperados’ com lentidão da máquina pública
Bolsonaro mantém compromisso com teto de gastos após debandada na economia

“O teto de gastos é a nossa âncora fiscal. Não  é um assunto que tem que ser discutido da forma como vem sendo colocado, é algo que tem que ser muito bem analisado pelas pessoas que conduzem a política fiscal do país. Temos uma situação fiscal péssima, então, não é algo que possa ser tratado da forma como está", afirmou o vice-presidente.

Sem citar nomes, Mourão afirmou também que os ministros que discutem descumprir as regras orçamentárias terão que levar o assunto ao presidente Jair Bolsonaro.

“Os ministros que querem avançar no aumento de gastos têm que sentar no conselho de governo apresentar suas metas e o presidente decide. O estado tem que ser o indutor do crescimento. Infelizmente, o estado brasileiro é campeão de criar dificuldade”, encerrou Mourão.