Carne de frango contaminada na China leva a temor sobre BRF e faz ação cair 8%

Produto fiscalizado seria da Aurora Alimentos, mas episódio pode prejudicar a BRF se autoridades chinesas anunciarem alguma restrição aos embarques do país

Do CNN Brasil Business, em São Paulo
13 de agosto de 2020 às 15:33 | Atualizado 13 de agosto de 2020 às 17:18
Unidade da BRF: ações da maior empresa exportadora de frangos do país recuam 8% nesta quarta
Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters

As ações da BRF (BRFS3), maior exportador brasileiro de carne de frango, recuaram 8,28% na B3 nesta quinta-feira (13). Foi a maior queda das ações do Ibovespa, que caiu 1,58%.

A queda nas cotações acontece depois da divulgação de que autoridades chinesas teriam encontrado carne de frango importada do Brasil contaminada com Covid-19 na cidade de Shenzhen.

O governo local identificou a Aurora Alimentos como empresa de origem de asas de frango que teriam testado positivo para o novo coronavírus.

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) disse em nota que não é possível afirmar se a contaminação ocorreu na embalagem ou durante o processo de transporte.

Centros locais de controle de doenças da China teriam testado uma amostra de superfície tirada das asas de frango como parte de análises de rotina realizadas sobre carnes e frutos do mar importados. São procedimentos adotados no país asiático desde junho, quando um novo surto do novo coronavírus em Pequim foi associado a um mercado atacadista de alimentos na cidade de Xinfadi.

Leia também:
Cidade chinesa diz que detectou Covid-19 em asas de frango importadas do Brasil
BRF registra 1.138 casos de Covid-19 em trabalhadores de fábrica no Paraná

O temor de investidores e das principais empresas produtoras, como a BRF, é que o governo chinês possa suspender os embarques de carne de frango do Brasil de forma preventiva. 

A BRF é a empresa com maior capacidade de abate de carne de frango do país (cerca de 30% do total) e é a maior exportadora dessa proteína animal (12% do total). 

(Com a Reuters)

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook