Oi tem prejuízo líquido atribuído a controladores de R$ 3,409 bi no 2º tri

O dado é 118,7% pior do que no mesmo intervalo do ano passado

Do Estadão Conteúdo
14 de agosto de 2020 às 08:03
 
Foto: Paulo Whitaker/Reuters

A Oi, em recuperação judicial, registrou no segundo trimestre deste ano prejuízo líquido consolidado de R$ 3,409 bilhões no critério atribuído aos controladores. O dado é 118,7% pior do que no mesmo intervalo do ano passado.

Em informe de resultados na madrugada desta sexta-feira (14) a operadora explica que compõem o número o resultado operacional antes do resultado financeiro e dos tributos (Ebit) negativo em R$ 366 milhões (maior que o negativo de R$ 298 milhões no mesmo período do ano passado).

Leia também:
Oi marca nova assembleia de credores para 8 de setembro
Oi assina contrato de exclusividade com consórcio Vivo, Claro e Tim

O resultado financeiro líquido também negativo, de R$ 3,127 bilhões (127% pior), além de uma despesa de Imposto de Renda e Contribuição Social de R$ 1 milhão.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) consolidado de rotina da companhia caiu 15%, para R$ 1,359 bilhão, e a margem ficou em 29,9% ante 31,4% há um ano.

A receita líquida consolidada foi de R$ 4,544 bilhões, 10,8% menor do que no mesmo período do ano passado.

Na operação Brasil somou R$ 4,490 bilhões, queda de 11,0%, ao passo que as operações internacionais (África e Timor Leste) cresceram 19,7% para R$ 54 milhões.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook