Ibovespa fecha abaixo dos 100 mil pontos com temores sobre saída de Guedes

Enquanto isso, o dólar encostou nos R$ 5,50 com apreensão de investidores sobre rumos da política econômica e desrespeito ao teto de gastos

Do CNN Brasil Business, em São Paulo
17 de agosto de 2020 às 09:22 | Atualizado 17 de agosto de 2020 às 18:07

Foto: Kim Kyung-Hoon/Reuters

Os rumos da política econômica do governo de Jair Bolsonaro tomam conta da atenção de investidores na abertura da semana. Cresce a movimentação de integrantes do governo para pleitear uma flexibilização no teto de gastos, o que pode culminar na saída do ministro Paulo Guedes do governo.

O aumento das incertezas fez o Ibovespa despencar e fechar o dia abaixo da marca simbólica dos 100 mil pontos pela primeira vez em um mês.

Nesta segunda-feira, o principal índice da bolsa brasileira fechou o dia com uma queda de 1,73%, aos 99.595,41 pontos.

O momento de maior tensão na equipe econômica desde o início do governo ofuscou a melhora das projeções do mercado para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2020.

A projeção consensual do mercado, segundo o boletim Focus, passou de queda de 5,62% para 5,52%. Foi a sétima revisão para melhor. No fim de junho, as previsões eram de um tombo de 6,54%. 

"O discurso divergente do governo entre a manutenção do teto de gastos e a responsabilidade fiscal versus verba para obras de infraestrutura está levando os investidores em busca de proteção de suas posições", afirma Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora. 

Externamente, o mundo segue de olho na atribulada relação comercial e diplomática entre Estados Unidos e China, as duas maiores economias do mundo. O presidente americano, Donald Trump, continua pressionando empresas chinesas de tecnologia para não operar no país. 

Os investidores também aguardam a divulgação da ata da última reunião de política monetária do Fed, o BC americano.

O dólar é outro canal que expressa a tensão e as incertezas de investidores. A moeda americana fechou com ganho de 1,26%, a R$ 5,49 reais na venda, depois de ter oscilado sem viés claro nas primeiras horas de pregão. No último fechamento, na sexta-feira, o dólar valia R$ 5,42. 

"A nossa moeda segue com desempenho muito pior frente aos seus pares emergentes e comprova a busca por proteção dos investidores, sem falar da inclinação positiva da curva de juros mesmo com indicações do Copom sobre a possibilidade de um corte da Selic ainda este ano", analisa Ribeiro. 

O Banco Central realizou leilão de 12 mil contratos de swap cambial entre 11h30 e 11h40 e distribuídos entre os vencimentos 1º de março de 2021 e 1º de julho de 2021.

Um dos destaques na B3 foram os vencimentos de opções sobre ações, que movimentaram R$ 12,8 bilhões nesta segunda-feira. Foram R$ 5,7 bilhões em opções de compra e R$ 7,01 bilhões em opções de venda.

As opções que tiveram maior volume financeiro foram Bradesco (BBDC4), BOVA (BOVA11), Vale (VALE5) e Itaú (ITUB4).

Destaques

O Itaú (ITUB4) recuou 2,39% e Bradesco (BBDC) caiu 2,92%, em meio aos ruídos envolvendo o ministro da Economia e potenciais efeitos fiscais de uma eventual mudança na pasta.

As ações preferenciais da Petrobras (PETR4) cederam 0,31%, também contaminadas pela aversão a risco local, descolando da alta do petróleo no mercado internacional. As ações ordinárias (PETR3) tiveram variação positiva de 0,04%.

A Vale (VALE3) subiu 1,43%, beneficiada pela alta do minério de ferro na China e do dólar em relação ao real, com o setor de mineração e siderurgia apresentando melhor desempenho do que o Ibovespa.

A Hering (HGTX3) despencou 8,34%, devolvendo boa parte da alta da última sexta-feira, quando o papel da verejista de moda fechou com elevação de mais de 10%.

A Marfrig (MRFG3) avançou 5,37%, capitaneando os ganhos no setor de proteínas, beneficiado pelo dólar em alta ante o real e perspectivas favoráveis para a demanda.

A Gol (GOLL4) perdeu 6,05%, em meio ao ambiente ainda difícil para o setor em razão da pandemia de Covid-19. A Azul (AZUL4) fechou com declínio de 5,51%.

O Magazine Luiza (MGLU3) perdeu 0,13%, antes da divulgação do balanço no final do dia. No setor, B2W (BTOW3) cedeu 4,52%, enquanto a Via Varejo (VVAR3) caiu 5,7%.

Lá fora

O Nasdaq avançou para uma máxima recorde de fechamento nesta segunda-feira, enquanto o S&P 500 aproximou-se do seu próprio nível recorde, com ambos os índices elevados pela Nvidia e por outras ações de tecnologia.

O índice S&P 500 chegou próximo a seu recorde intradiário de 19 de fevereiro, depois de testar esse nível durante a maior parte da semana passada, enquanto o Dow Jones foi prejudicado pelas perdas em ações financeiras e industriais.

No fechamento, o S&P 500 subiu 0,27% e o Nasdaq teve valorização de 1,11%. Enquanto isso, o Dow Jones recuou 0,31%. 

Hoje, os Estados Unidos ampliaram restrições da Huawei à tecnologia do país. Ao mesmo tempo, o assessor de Comércio da Casa Branca, Peter Navarro, disse nesta segunda-feira (17) em entrevista à CNBC, que o acordo comercial de "fase 1" dos EUA com a China está no caminho certo e admitiu que os chineses estão cumprindo sua parte do acerto.

Na Europa, os índices acionários fecharam em alta uma vez que as mineradoras expostas à China saltaram com novos estímulos na segunda maior economia do mundo, mas preocupações com o ressurgimento de casos de coronavírus na região limitaram os ganhos.

O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,37%, a 1.432 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,32%, a 369 pontos.

As ações de viagem e lazer caíram 1,5%, dando continuidade às perdas depois que o Reino Unido acrescentou a França e outros países à sua lista de quarentena na semana passada.

As mineradoras europeias subiram 1,7% após novas medidas de liquidez pelo banco central da China, maior consumidora de metais do mundo.

Os índices acionários da China fecharam no nível mais alto em mais de um mês nesta segunda-feira depois que o banco central injetou novos fundos no sistema financeiro do país.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 2,35%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 2,34%. Ambos chegaram ao maior nível de fechamento desde 13 de julho.

*Com informações da Reuters

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook