Remédios usados em hospitais ficam 16% mais caros durante a pandemia

Levantamento da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas aponta que alguns medicamentos dobraram de valor

Camille Couto e Jairo Nascimento, da CNN no Rio de Janeiro
20 de agosto de 2020 às 10:35 | Atualizado 21 de agosto de 2020 às 11:40

Um levantamento da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, a FIPE, com a Bionexo, aponta um aumento de 16,44% no preço dos remédios usados em hospitais. Cerca de 15% dos remédios pesquisados são utilizados para o tratamento da Covid-19 em casos de, por exemplo, anestesia e suporte respiratório.

Medicamentos usados nos tratamentos de doenças cardiovasculares ficaram 92,6% mais caros entre janeiro e junho de 2020 segundo o Índice de Preços para Hospitais (IPM-H). A lista de alta segue com os remédios para sistema nervoso (66%) e metabolismo (50,4%).

Leia também:
Hospitais privados de SP dizem estar sem remédios para intubar pacientes
Governo zera tarifa de importação de 34 remédios usados contra a Covid-19
Metade dos médicos relata pressão para dar remédio sem comprovação científica

Covid-19: Preços de remédios usados em hospitais disparam em 2020

Foto: Marcello Casal Jr - 7.dez.2004/ABR

Para o coordenador da pesquisa, Bruno Oliva, as causas para o incremento de preços foram o auge do surto de coronavírus que estimulou uma explosão da demanda por remédios, a desvalorização cambial com consequente aumentos de custos de insumos e produção de medicamentos e a paralisação na atividade econômica mundial. De acordo com o estudo, o mês de julho apresentou uma pequena queda de preços, um sinal do início de recuperação do setor.

A pesquisa foi obtida com exclusividade pela CNN. Os dados não contemplam o preço de medicamentos vendidos para o consumidor final, a exemplo das farmácias.