Maia se compromete a pautar valor que governo propor para auxílio emergencial

Compromisso foi feito pelo parlamentar em conversa com o presidente Jair Bolsonaro na quarta-feira (19), no Palácio da Alvorada

Por Igor Gadelha, CNN  
20 de agosto de 2020 às 10:36 | Atualizado 20 de agosto de 2020 às 11:37

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se comprometeu a pautar na Casa o valor que o governo decidir para as novas parcelas do auxílio emergencial. 

O compromisso foi feito pelo parlamentar em conversa com o presidente Jair Bolsonaro na quarta-feira (19), no Palácio da Alvorada. “Vou aguardar a posição dele”, disse Maia à CNN.

Leia mais:
Governo avalia pagar auxílio emergencial de R$ 600 por mais um mês

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente da República, Jair Bolsonaro, em evento em Brasília
Foto: Adriano Machado/Reuters (17.jun.2020)

O presidente da Câmara disse, inclusive, que não vai se opor à nova prorrogação do auxílio emergencial por meio de uma medida provisória, instrumento do qual é bastante crítico.

O comportamento é diferente do adotado por Maia quando o governo decidiu prorrogar o auxílio em julho e agosto. Naquela época, ele insistiu para convencer o governo a manter as novas parcelas em R$ 600.

Novo valor

Nesta quarta-feira (19), lideranças do Centrão foram informadas pela equipe econômica que uma das opções estudadas pelo governo é prorrogar o benefício por mais quatro parcelas de R$ 250 até dezembro.

Aos interlocutores do governo, esses parlamentares sinalizaram que não devem alterar tanto o valor proposto, pois entendem não haver espaço fiscal para novas parcelas de R$ 600, como deseja a oposição.

Uma ala do Centrão, porém, defende prorrogar o benefício de forma escalonada, sendo mais uma parcela de R$ 600, outra de R$ 400 e outras duas menores, de cerca de R$ 300 cada.

À CNN, o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), afirmou que esse os valores ainda estão em avaliação e ressaltou que o martelo ainda não foi batido.