Com mão de obra 'barata', programas de trainee crescem 30% no 1º semestre

Previsão é de que 90 novos programas sejam abertos até o final do ano

Da CNN
23 de agosto de 2020 às 15:32 | Atualizado 23 de agosto de 2020 às 17:23

Por conta da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus — que fechou quase 9 milhões de postos de trabalho no país em apenas três meses, de acordo com o IBGE — a contratação de mão de obra mais barata por grandes empresas está em alta este ano. O setor de programas de trainee teve crescimento de quase 30% no primeiro semestre, em relação ao mesmo período do ano passado.

"Esse funcionário mais jovem é mais barato e, muitas vezes, é uma oportunidade de trazer alguém talentoso com uma formação inicial boa, mas que vai receber direcionamento adequado dentro da sua empresa", explicou o professor de economia da FGV-SP Renan Peri.

A expectativa para quem está buscando programas de trainee é ainda melhor para o segundo semestre. De acordo com o levantamento feito para a CNN pela consultoria Seja Trainee, ao menos 90 empresas vão abrir inscrições nos próximos meses — o que pode representar até 2 mil vagas no mercado de trabalho com salários que variam entre R$ 3 mil e R$ 7 mil.

Veja também:

Ambev, Santander e Heineken: empresas com vagas de trainee abertas

Trabalho temporário pode ter quase 2 milhões de novas vagas em 2020

Brasil cria 131 mil vagas formais em julho, aponta Caged

A Ambev é uma das que está com inscrições abertas até o dia 8 de setembro. O processo seletivo deste ano, que será totalmente online, já bateu recorde em número de interessados.

"As pessoas hoje passam pelo trainee e depois de um ano são alocadas em um cargo de liderança, e vamos acompanhando o tracking de carreira para que essa pessoa continue sempre crescendo na velocidade de seu talento", afirmou Ilana Kern, líder de Gente e Gestão da Ambev.

(Edição: Leonardo Lellis)