Governo quer liberar R$ 6,5 bilhões para obras sem furar o teto de gastos

Para não ultrapassar o teto de gastos, os recursos serão remanejados de outros programas

Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN  
27 de agosto de 2020 às 18:51 | Atualizado 27 de agosto de 2020 às 19:34
 

A área econômica do governo concluiu que é possível liberar ainda este ano R$ 6,5 bilhões - R$ 1,5 bilhão acima do previsto - para a conclusão de obras por todo o país. 

Para não ultrapassar o teto de gastos, os recursos serão remanejados de outros programas, são verbas consideradas "empoçadas", não utilizadas pelas áreas para as quais haviam sido destinadas.

Leia e assista também:

Bolsonaro vê dificuldades em troca e diz que manterá Guedes

‘Momento para Guedes é tenso, mas não é definitivo’, diz líder do governo

Por Renda Brasil, equipe econômica quer impulsionar trava no salário de servidor

O valor foi consolidado pela Secretaria de Orçamento Federal, responsável pelo cancelamento dos recursos não utilizados. O projeto para o remanejamento do dinheiro deverá ser encaminhado na próxima semana pelo Ministério da Economia para o Congresso Nacional.

A proposta vai enumerar as obras que deverão ser beneficiadas, mas a lista poderá ser alterada. O governo, porém, não prevê muitas mudanças, já que o destino das verbas já foi discutido com parlamentares da base aliada.

Fachada do Ministério da Economia
Foto: Hoana Gonçalves/Ministério da Economia