IPO da construtora Cury pode levantar até R$ 1,7 bilhão


Paula Arend Laier, da Reuters
28 de agosto de 2020 às 12:24
Construção Civil

Trabalhadores da construção civil: Cury vai estrear na B3 no dia 21 de setembro

Foto: Reuters/Rahel Patrasso

A Cury Construtora e Incorporadora estabeleceu faixa indicativa entre R$ 11 e R$ 14,30 para sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), que espera precificar em 17 de setembro e pode movimentar até R$ 1,755 bilhão, de acordo com prospecto preliminar à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A operação consistirá na distribuição primária de, inicialmente, 18.181.818 novas ações ordinárias e secundária de, inicialmente, 72.727.273 ações ordinárias de acionistas vendedores, no caso a Cyrela e a Cyrela RJZ, além dos acionistas Fabio Elias Cury, Paulo Sergio Beyruti Curi, Leonardo Mesquita da Cruz e Ronaldo Cury de Capua.

Leia também:
Havan, de Luciano Hang, registra pedido de IPO com carta inusitada a investidor
Rede D'Or vai buscar R$ 15 bilhões em IPO
BV, antes conhecido como Banco Votorantim, retoma processo de IPO

A oferta base poderá ser acrescida em até 20% (até 18.181.818 ações). A oferta inicial também poderá ser acrescida de um lote suplementar em percentual equivalente a até 15% (13.636.363 ações), as quais serão destinadas, exclusivamente, para prestação de serviços de estabilização do preço das ações.

A estreia das ações, que serão negociadas no segmento Novo Mercado da B3, está prevista para 21 de setembro, com o código 'CURY3'.

Os recursos líquidos da oferta primária da Cury, que se apresenta como um incorporadora de baixa e média rendas, com foco nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro, derão destinados para a aquisição de terrenos, segundo a companhia.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook