Walmart quer comprar TikTok para ser 'mais jovem'

Comprar o TikTok, com cerca de 100 milhões de usuários mensais ativos nos Estados Unidos, pode ser uma virada de jogo para a maior varejista do mundo

Uday Sampath Kumar, da Reuters
28 de agosto de 2020 às 18:38
Jovem manipula smartphone com logotipo da TikTok: destino da rede social será o Walmart?
Foto: Dado Ruvic/Illustration/Reuters

Wall Street rapidamente enxergou a lógica por trás do movimento do Walmart de disputar a compra do TikTok - ter acesso a milhões de usuários jovens e digitalmente experientes que podem ajudar a empresa a impulsionar seu negócio de vendas online.

A varejista revelou planos de enfrentar a Microsoft fazendo uma oferta pelas operações do TikTok nos EUA, horas após o presidente-executivo do aplicativo anunciar sua renúncia.

Analistas disseram que o Walmart comprar uma participação no aplicativo de vídeos da chinesa ByteDance, com cerca de 100 milhões de usuários mensais ativos nos Estados Unidos, pode ser uma virada de jogo para a maior varejista do mundo.

Leia também:
Walmart se junta à Microsoft para tentar comprar o TikTok
CEO do TikTok, Kevin Mayer deixa cargo após ameaças de Trump ao aplicativo

"Conectar-se com um público mais jovem é vital para a perspectiva de longo prazo do Walmart, especialmente à medida que mais gerações digitalmente nativas entram em seus anos principais de consumo", disse o analista do UBS Michael Lasser.

"As linhas entre as compras tradicionais, as compras digitais e as redes sociais estão se tornando menos evidentes. O Walmart precisa de mais exposição à essa tendência."

As empresas têm se esforçado para anunciar e vender em aplicativos como o TikTok e o Instagram, do Facebook, que viram um aumento nas vendas, à medida que as pessoas passam horas todos os dias assistindo os vídeos mais recentes de seus influenciadores favoritos.

Cerca de 23% dos usuários dos EUA relataram ter feito uma compra no Instagram no início deste ano, ante 15% no fim de 2019, de acordo com pesquisa realizada pela RBC Capital Markets.

Uma combinação das operações de e-commerce e dados de clientes do Walmart, com a plataforma de nuvem Azure, da Microsoft, e os usuários do TikTok poderia criar um gigante digital ainda mais dominante do que a Amazon ou o Facebook, disse o analista da Jefferies Christopher Mandeville.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook