Amazon obtém autorização nos EUA e se aproxima de fazer entregas com drones


Matt McFarland, da CNN Business
31 de agosto de 2020 às 20:38 | Atualizado 01 de setembro de 2020 às 16:48

A Amazon obteve um certificado importante da Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês) nesse sábado (29), ficando um passo mais perto de lançar entregas por drone nos Estados Unidos.

A empresa agora possui o certificado Part 135, transportador aéreo, que precisa ser obtido antes que uma organização comece a fazer esse tipo de entrega.

A Amazon disse que usará a aprovação para começar a testar as entregas, mas se negou a dizer quando ou onde esses testes serão realizados.

A companhia afirma ter validado mais de 500 processos de segurança e eficiência durante o processo de solicitação do certificado.

Usar drones para fazer entregas em 30 minutos ou menos é um plano antigo da Amazon. O CEO Jeff Bezos anunciou o programa pela primeira vez em dezembro de 2013. A Amazon disse ter ter centros de testagem nos Estados Unidos e ao redor do mundo, acumulando milhares de horas de vôo.

Assista e leia também:

Jeff Bezos, da Amazon, se torna o primeiro a ter uma fortuna de US$ 200 bilhões

Amazon lança pulseira inteligente Halo para brigar de frente com Apple e Fitbit

A primeira entrega por drone, de fato, foi registrada no Reino Unido, em dezembro de 2016, mas os avanços foram lentos desde então.

Em junho de 2019, o CEO do Amazon Worldwide Consumer, Jeff Wilke, disse que a companhia planejava entregar por drones em meses, mas não chegou lá ainda. Wilke se aposentará no próximo ano.

David Carbon, ex-executivo da Boeing, entrou para a Amazon e assumiu a liderança do programa de drones em março. Ele classificou a obtenção do certificado como um passo importante.

"Nós vamos continuar a desenvolver e refinar a nossa tecnologia para integrar plenamente as entregas por drones dentro do espaço aéreo e vamos trabalhar junto com a FAA e outros órgãos reguladores, ao redor, do mundo para realizar nosso plano de entregar em 30 minutos", disse Carbon.

Preocupações com o distanciamento social durante a pandemia ampliaram o interesse no uso de robôs para entregas, mas as novas tecnologias ainda não estão prontas para a utilização amplamente disseminada.

A FAA também está desenvolvendo regulamentações necessárias para o uso amplo, como identificação remota de drones.

A Amazon é a terceira empresa a receber a certificação da FAA para entregas pro drone. A UPS e a Wing, subsidiária da holding Alphabet (Google), receberam as delas em 2019. 

A UPS realizou duas entregas médicas em hospitais da Carolina do Norte. A empresa também está entregando receitas médicas em The Villages, na Flórida, segundo o porta-voz da empresa. A Wing lançou entrega por drone em Christiansburg, na Virgínia, em outubro de 2019.

(Texto traduzido. Clique aqui e leia o original em inglês)