Mais um IPO: Mélliuz registra pedido para estrear na bolsa


Aluísio Alves, da Reuters
03 de setembro de 2020 às 19:59
Mercados Bolsa de Valores B3

Entrada da B3, em São Paulo

Foto: Reuters/Paulo Whitaker

A administradora de programas de fidelidade e de cupons de descontos Méliuz pretende usar os recursos que levantar na oferta inicial de ações (IPO) para ampliar seu marketplace, serviços financeiros e para aquisições de empresas.

De acordo com o prospecto preliminar, disponibilizado nesta quinta-feira, a operação também servirá para vender parte das ações detidas na companhia por atuais sócios, cujos nomes não foram revelados.

Leia também:
Wine, startup de assinatura de vinhos, pede registro para IPO
IPO da Havan mostra empresa ainda fraca no digital e levanta dúvidas sobre valor

Juntos, Israel Fernandes Salmen, presidente, e Ofli Campos Guimarães, diretor de relações com investidores, detêm 50,3% do capital da companhia, sediada em Belo Horizonte.

O IPO da Méliuz será coordenado por Itaú BBA, BTG Pactual, Bradesco BBI e XP.

A companhia teve receita líquida somou 56,4 milhões de reais, alta de 61,1% ante mesma etapa de 2019. O Ebitda de janeiro a junho somou 19,5 milhões de reais, aumento de 420% ano a ano, com 34,6% de margem.

A Reuters havia publicado em agosto que a Méliuz, que tem parcerias com as varejistas Magazine Luiza, Lojas Americanas e Amazon, havia contratado bancos para coordenar seu IPO.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook