Artes e setor aéreo são os mais afetados pela pandemia, diz estudo do governo


Gabriel Ponte, da Reuters
15 de setembro de 2020 às 20:29 | Atualizado 15 de setembro de 2020 às 21:08

A Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia divulgou nesta terça-feira nota que aponta as atividades artísticas, criativas e de espetáculos como as mais afetadas pelos impactos econômicos da pandemia da Covid-19, seguidas do transporte aéreo.

Também integram a lista das dez primeiras atividades mais afetadas o transporte ferroviário e metroferroviário de passageiros, transporte interestadual e intermunicipal de passageiros, transporte público urbano, serviços de alojamento e de alimentação, fabricação de veículos automotores e de calçados e artefatos de couro e o comércio de veículos, peças e motocicletas.

Leia também: 

Com atraso, governo inicia ajuda a artistas na pandemia

Aéreas baixam preços; pela 1ª vez, maioria paga menos de R$ 300 para voar

"A lista destina-se apenas a orientar as instituições financeiras acerca dos setores mais atingidos", disse o ministério em nota divulgada à imprensa. A relação total dos setores mais afetados, publicada no Diário Oficial da União, é mais extensa e inclui 34 setores.

A relação foi elaborada com base na variação do faturamento do setor a partir da decretação da calamidade pública, em março, de acordo com dados da Receita Federal, e também foi considerada a relevância do setor na economia, disse o ministério.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook