Carrefour Brasil diz que Cade aprovou aquisição de lojas e postos do Makro

Em meados de fevereiro, o Carrefour Brasil anunciou o acordo com o Makro Atacadista pelo montante de R$ 1,9 bilhão

Do CNN Brasil Business
17 de setembro de 2020 às 10:23
Fachada de uma das lojas do Carrefour
Foto: Divulgação

Em comunicado divulgado nesta quinta-feira (17), o Grupo Carrefour Brasil afirmou que a superintendência-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a aquisição de 30 lojas - sendo 22 próprias e 8 alugadas - e 14 postos de combustíveis espalhados em 17 estados brasileiros e operados pelo Makro Atacadista.

Leia também:
Carrefour muda planos por pandemia e está no caminho para lucrar no e-commerce
Carrefour triplica vendas online após Covid-19, diz diretor presidente

No entanto, conforme diz a nota, a conclusão da transação segue sujeita "ao cumprimento de determinadas condições, incluindo o acordo dos proprietários das lojas alugadas e o trânsito em julgado da decisão proferida pelo Cade".

Em meados de fevereiro, o Carrefour Brasil anunciou o acordo com o Makro pelo montante total máximo de R$ 1,953 bilhão. A transação visa acelerar a expansão do Atacadão, marca do Grupo Carrefour Brasil, especialmente na região Nordeste. As 30 novas lojas vão se somar às 187 em operação.

Na época, o grupo afirmou que estima o aumento das vendas da marca em mais de 60% e que a estrutura de custos seja otimizada, possibilitando o alcance gradual de níveis de rentabilidade similares aos das lojas atuais.

O presidente do conselho de administração e CEO do Grupo Carrefour, Alexandre Bompard, falou com entusiasmo sobre a compra na ocasião. “Essa transação é o movimento mais importante do Grupo Carrefour no Brasil desde a aquisição do Atacadão em 2007. O modelo de atacado tem sido um grande contribuinte para o crescimento do Carrefour nos últimos anos. Com essa transação, iremos expandir nossa presença no mercado brasileiro, o segundo maior mercado para o grupo depois da França”, disse.

(Com Reuters)

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook