Você se lembra dela? Tectoy 'volta ao jogo' com lançamento de smartphone

Batizado de Tectoy On, o produto, inicialmente disponível no site criado para o produto, será vendido por R$ 1.999

Aluisio Alves, da Reuters
18 de setembro de 2020 às 11:33
Tectoy: fabricante tenta acmpanhar o mercado de games que ganhou ainda mais impulso durante a pandemia do coronavírus
Foto: Divulgação/REUTERS


A fabricante de produtos eletrônicos Tectoy inicia nesta sexta-feira uma recomeço com o lançamento de uma marca própria de telefone celular, tentando acompanhar o mercado de games, que ganhou ainda mais impulso durante a pandemia do coronavírus.

No dia do aniversário de 33 anos, a icônica marca de console de videogames que, em parceria com a japonesa Sega, fez sucesso no país na década de 90, mergulha de cabeça nos smartphones, acompanhando uma tendência que têm levado fabricantes globais, incluindo Samsung, Motorola, LG e Xiaomi a investirem bilhões de dólares na melhora de celulares para esse fim.

Leia também:
Nintendo volta ao Brasil com Switch e mira expansão 'desafio é atender demanda'
Por que uma arma do jogo Counter-Strike pode valer R$ 700 mil? Conheça o mercado

Batizado de Tectoy On, o celular inclui fone bluetooth, tela resistente a riscos, quatro câmeras (3 traseiras e uma frontal), recurso de identificação facial, foco e luminosidade e Android 10 embarcado. O produto, inicialmente disponível no site criado para o produto, será vendido por R$ 1.999.

"Estamos começando uma nova fase", disse à Reuters o presidente da Tectoy, Valdeni Rodrigues.

Afetada por sucessivas transformações na indústria de games e de crises internacionais que reverberaram no câmbio e na cadeia de negócios de eletroeletrônicos, a Tectoy chegou a entrar em concordata. Em 2018, decidiu se deslistar da B3.

Agora, em parceria com um fornecedor chinês cujo nome por ora é mantido em sigilo, a Tectoy produzirá seu celular em sua renovada fábrica na Zona Franca de Manaus, que recebeu até agora 300 milhões de reais em investimentos, e para onde planeja contratar cerca de 200 funcionários a partir de outubro.

"Nosso plano é conquistar 5% a 10% do mercado brasileiro de telefones celulares nos próximos dois anos", disse Rodrigues.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook