Magazine Luiza reafirma trainee para negros após acusação de 'racismo reverso'


Fernando Nakagawa
Por Fernando Nakagawa, CNN  
21 de setembro de 2020 às 07:05
Abertura de Mercado

Capa do podcast Abertura de Mercado

Foto: CNN Brasil

O presidente do Magazine Luiza, Frederico Trajano, publicou um artigo com firme defesa da decisão no site Brazil Journal. Segundo ele, a empresa não tem a pretensão de corrigir mazelas históricas do país, mas tem sim obrigação de corrigir os problemas da própria companhia, como a falta de representatividade na direção.

No episódio de hoje:

- Documentos vazados do governo dos Estados Unidos revelam que cinco grandes bancos globais podem ter envolvimento em movimentações suspeitas que somam US$ 2 trilhões;
- A denúncia envolve os bancos JPMorgan, HSBC, Standard Chartered, Deutsche Bank e Bank of New York Mellon;
- Os documentos foram obtidos pela redação do BuzzFeed News e compartilhados com o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos;
- As evidências indicam que esses bancos teriam realizado essas operações financeiras entre 1999 e 2007;
- Essas transações são suspeitas de terem sido usadas por esquemas ilegais, como corrupção e desvio de dinheiro;
- E ocorreram mesmo após a imposição, nos últimos anos, de regras mais rígidas para o controle de capitais suspeitos;
- A legislação atual prevê que bancos devem verificar a legalidade das operações dos clientes e, em caso de suspeita, autoridades devem ser avisadas;
- Os bancos negam as acusações e responderam que adotam medidas de prevenção a transações ilícitas;
- O HSBC diz que as operações citadas são anteriores à adoção de medidas mais rígidas de controle no banco;
- No Brasil, os documentos lançam suspeitas sobre operações do Grupo Schain em favorecimento de uma empresa chamada Ribas do Rio Pardo;
- A investigação durou 16 meses e envolveu, além do buzzfeed, 108 jornais em todo o mundo e mais de 400 jornalistas em 88 países;
- O Magazine Luiza abriu inscrições para o programa de trainees 2021, em que serão aceitos apenas candidatos negros;
- A intenção da empresa é ter mais diversidade racial entre os funcionários, especialmente nos cargos de liderança.
- Pretos e pardos são 53% dos funcionários da empresa, mas só 16% deles são chefes, diretores ou gerentes;
- Outra novidade inclusiva deste ano é o fato de o processo não exige domínio da língua inglesa nem experiências anteriores;
- É preciso ter se formado no ensino superior entre dezembro de 2017 e dezembro de 2020, em qualquer curso;
- A decisão da varejista de abrir o processo só para negros gerou muitos elogios e críticas nas redes sociais;
- Desde a sexta-feira, a empresa tem sido acusada por brancos de praticar, segundo esses, o entre aspas racismo reverso, citam até a constituição;
- O presidente do Magazine Luiza, Frederico Trajano, publicou um artigo com firme defesa da decisão no site Brazil Journal;
- Segundo ele, a empresa não tem a pretensão de corrigir mazelas históricas do país, mas tem sim obrigação de corrigir os problemas da própria companhia, como a falta de representatividade na direção;
- Por isso, ele explica, o programa de trainee seguirá e não há possibilidade de retorno nessa decisão;
- A gigante da indústria química Bayer também anunciou, na sexta-feira, um novo programa de trainee voltado a profissionais negros;
- Este será o primeiro programa criado pela companhia alemã focado na valorização da diversidade dentro da companhia; 
- As Lojas Americanas querem abrir pequenas unidades de conveniência em condomínios fechados, principalmente para vender alimentos;
- Esses mercadinhos nos grandes condomínios ganham cada vez mais popularidade em metrópoles como São Paulo e Rio de Janeiro;
- Até então, a maioria desses mercadinhos não têm funcionários e o cliente é que paga diretamente com o cartão sem a presença de um caixa;
- Nesse esforço de chegar mais perto do cliente, a B2W, que é dona da americanas.com e do Submarino, também vai ampliar o número de armários em estações do metrô de São Paulo e Rio para que os clientes possam retirar pedidos feitos pela internet;
- Atualmente, há 18 desses lockers e a empresa vai inaugurar mais 32 equipamentos até o fim de setembro;
- O modelo já é usado por grandes vendedores da internet, como a Amazon nos Estados Unidos e Europa, e serve principalmente para quem não tem ninguém em casa para receber os produtos; 
- Fabricantes de sabão e sabonete pedem até ao ministério da Economia uma solução para a disparada de preços de uma matéria prima essencial pro setor: o sebo de boi;
- Reportagem da Folha de S. Paulo mostra que os preços da matéria prima subiram cerca de 80% neste ano;
- Isso aconteceu porque o abate de animais diminuiu e, ao mesmo tempo, houve maior demanda de sebo pelo setor de biodiesel, que compra o material como substituto do óleo de soja, que também subiu bastante nos últimos meses;
- O quilo do sebo que custava R$ 2,85 no começo do ano já se aproxima R$ 5;
- Boa parte desse aumento ainda não chegou aos supermercados, mas os fabricantes dizem que está cada vez mais difícil segurar os aumentos.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook