Duralex, fabricante do prato inquebrável, 'quebra' e pede recuperação judicial

O presidente da empresa, Antoine Ioannidès, disse que houve perda de 60% do faturamento com a queda das exportações por causa da pandemia do novo coronavírus

Do CNN Brasil Business, em São Paulo
25 de setembro de 2020 às 15:20 | Atualizado 25 de setembro de 2020 às 17:42
 
Foto: Reprodução/Facebook

Os pratos “inquebráveis” que se incorporaram à cultura brasileira podem estar com seus dias contados. Isso porque sua fabricante, a Duralex, entrou com um pedido de recuperação judicial na França nesta quinta-feira (24) — no Brasil (e demais países da América do Sul), a marca pertence à Nadir Figueiredo e não está envolvida no pedido.  

Em entrevista ao jornal Le Monde, o presidente da empresa, Antoine Ioannidès, disse que houve perda de 60% do faturamento com a queda das exportações por causa da pandemia do novo coronavírus. A Duralex exporta cerca de 80% de tudo o que produz. 

Leia também:
Tembici lança aluguel de bicicletas elétricas por R$ 3,00 – e vão ter 500 no RJ
Amazon investe no setor de segurança e lança drone e alarme de carro

A companhia francesa tem 248 funcionários, que devem continuar empregados, segundo Ioannidès. 

Agora, a Duralex vai passar por seis meses de observação sob tutela do Tribunal de Comércio de Orléans. Vamos saber se os pratos vão durar mais que o CNPJ.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook