Desemprego no Brasil e PIB dos EUA: a pauta da semana no mercado financeiro

No meio da semana, um dia decisivo, com dados sobre o emprego no Brasil e o desempenho da economia dos Estados Unidos no segundo trimestre

Leonardo Guimarães, do CNN Brasil Business, em São Paulo
28 de setembro de 2020 às 06:00 | Atualizado 28 de setembro de 2020 às 08:09
Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS): Brasil conhecerá a taxa de desemprego nessa semana
Foto: Amanda Perobelli - 29.mar.2019/Reuters

A semana começa como sempre: olho no boletim Focus para saber como o mercado avalia o desempenho da economia brasileira em um ano marcado pela pandemia do novo coronavírus. Mas outros indicadores importantes vão pautar os investidores até a próxima quinta-feira.

Leia também:
Retomada: empresas querem ajudar PMEs com gestão e captação de investimento
Quase 13 milhões de brasileiros voltaram ao trabalho presencial, diz IBGE

No meio da semana, um dia decisivo, com dados sobre o emprego no Brasil e o desempenho da economia dos Estados Unidos no segundo trimestre que serão divulgados antes da abertura dos mercados. 

Confira o que está na pauta do mercado financeiro para a semana que marca o fim de setembro: 

Focus

O Banco Central vai divulgar na segunda-feira, como sempre às 8h25, a estimativa do mercado para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2020. Na última semana, a projeção melhorou de contração de 5,11% para um recuo de 5,05%. Foi a segunda melhora consecutiva, indicando uma retomada do movimento de melhora das expectativas. 

IGP-M

A FGV divulga na terça, às 8h, a segunda prévia do Índice Geral de Preços-Mercado de setembro. A estimativa da LCA é que a alta nos preços seja de 4,35%, um pouco menor que a primeira estimativa da FGV para o mês, que foi de 4,41%. 

O índice que reajusta contratos de aluguel sobe muito acima da inflação oficial do país, o IPCA (Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo), medido pelo IBGE. No indicador da FGV, é importante ficar de olho no índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do IGP-M, e teve na primeira prévia de setembro alta de 6,14%, maior salto desde julho de 1994, quando o índice subiu 17,95%.

PMI China

No final da noite da terça-feira, mais precisamente às 22h, o mercado vai saber como anda o ritmo de recuperação da indústria na China. Será mais uma divulgação do Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

Na última divulgação, o indicador mostrou que a atividade industrial chinesa expandiu no ritmo mais rápido em quase uma década em agosto e os índices acionários subiram no dia do anúncio. A expectativa de todo o mercado é que o índice continue em alta.  

Pnad Contínua

Às 9h da quarta-feira, o mercado conhece dados sobre o desemprego no Brasil em julho. Este é um dos anúncios mais importantes da semana. A expectativa da LCA é que a taxa de desemprego do mês fique em 14,1%. 

A última Pnad Covid-19, divulgada nesta semana, mostrou que na quarta semana de agosto a taxa de desemprego era de 14,3%. 

PIB dos EUA

Ainda na manhã da quarta-feira (só que às 9h30), o mercado verá a atualização do desempenho da economia norte-americana entre abril e junho. 

A expectativa dos especialistas é de retração de 31,7% no segundo trimestre na comparação com o mesmo período no ano passado. 

PMI Zona do Euro e Alemanha 

Na quinta-feira é a vez de saber como as indústrias dos países na zona do euro reagiram às novas medidas de isolamento social na Europa. No fim da madrugada, às 5h, o mercado verá exatamente isso no PMI da indústria na zona do euro e também o da Alemanha. 

Balança comercial no Brasil

Às 10h da quinta-feira acontece a divulgação do último indicador macroeconômico importante para a economia brasileira na semana. O saldo da balança comercial de setembro deve mostrar superávit de US$ 7,1 bilhões em setembro, segundo a LCA. 

Em agosto, a balança comercial brasileira teve o maior superávit para o mês na história – de US$ 6,6 bilhões. O resultado representou um avanço de 61,2% ante o mesmo mês do ano passado, quando o superávit foi de US$ 4,1 bilhões.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook