Auxílio emergencial: 5,7 milhões de beneficiários não receberão extensão

O governo endureceu as regras para as próximas parcelas do benefíco excluindo presos em regime fechado e brasileiros que moram no exterior

Do CNN Brasil Business, em São Paulo*
29 de setembro de 2020 às 19:03 | Atualizado 29 de setembro de 2020 às 19:27

Aplicativo para receber auxílio emergencial do Governo Federal

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil (21.jul.2020)

Cerca de 5,7 milhões de beneficiários do auxílio emergencial não terão acesso à extensão do programa de transferência de renda. A informação foi divulgada hoje (29) pelo secretário-executivo do Ministério da Cidadania, Antônio Barreto. 

O governo endureceu as regras para as próximas parcelas do benefíco excluindo presos em regime fechado e brasileiros que moram no exterior. Além disso, atualizou o critério de renda com base na declaração do imposto de renda deste ano e excluiu quem aparece em uma declaração como dependente. 

Leia também:
Calendário: Governo define datas de pagamentos das parcelas de R$ 300 do auxílio
Precatórios, Fundeb: entenda como o governo quer financiar o Renda Cidadã

Também nesta terça, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou que o banco já realizou o pagamento do auxílio emergencial a 67,2 milhões de pessoas. O montante total pago foi de aproximadamente R$ 214 bilhões.

Guimarães disse ainda que 500 mil pessoas acabaram de ser aprovadas no auxílio, o que amplia o número total de beneficiados para 67,7 milhões de pessoas. "34% do valor pago estão no Nordeste. Outros 10,6% estão na região Norte", pontuou, durante coletiva de imprensa. "O auxílio emergencial está indo para quem precisa, em todos os Estados e em todas as regiões."

Ele ainda explicou que os beneficiários do auxílio emergencial que tiveram em abril o pagamento da primeira parcela do benefício começarão a receber, a partir desta quarta-feira (30) a primeira parcela da extensão.

Quem vai receber 9 parcelas?

Pedro Guimarães, explicou que somente quem recebeu a primeira parcela em abril receberá um total de nove parcelas – cinco delas do auxílio emergencial, no valor de R$ 600, e outras quatro do auxílio emergencial extensão, de R$ 300.

Assim, os beneficiários do auxílio emergencial que receberam a primeira parcela depois de abril receberão menos parcelas do auxílio extensão. Isso porque este benefício vai durar apenas até dezembro deste ano.

"Todas as pessoas receberão as cinco parcelas do auxílio emergencial. Quando o auxílio terminar, elas receberão parcelas do auxílio extensão, até dezembro", afirmou Guimarães.

Uma pessoa que tenha recebido a primeira parcela do auxílio emergencial em maio, por exemplo, receberá cinco parcelas de R$ 600 até setembro. Depois, receberá três parcelas de R$ 300 do auxílio extensão (outubro, novembro e dezembro).

Guimarães explicou ainda que os beneficiários do Bolsa Família receberão todas as nove parcelas. "Amanhã, todas as pessoas do Bolsa Família já terão recebido a primeira parcela do auxílio extensão", afirmou.

O presidente da Caixa e o secretário do Ministério da Cidadania, Antônio Barreto, participam hoje de coletiva de imprensa a respeito da extensão do auxílio emergencial. Em portaria publicada no Diário Oficial da União na segunda-feira, o ministério definiu o calendário de pagamentos e de saques do auxílio. A parcela adicional será de R$ 300 ou de R$ 600 (no caso de mães monoparentais).

*Com Estadão Conteúdo

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook