O pão do Subway tem tanto açúcar que corte irlandesa decidiu que ele não é pão


Jack Guy, do CNN Business, em Londres
01 de outubro de 2020 às 17:10 | Atualizado 01 de outubro de 2020 às 19:47
Lanche da Subway

Lanche do Subway: de acordo com a corte irlandesa, nessa foto não temos um pão cercando os ingredientes

Foto: Divulgação

O pão utilizado nos sanduíches do Subway contém tanto açúcar que não atende à definição de legal para ser “pão” na Irlanda. A decisão é da Suprema Corte do país.

A sentença foi proferida na terça-feira em resposta a um franqueado do Subway, que havia apelado por uma restituição de impostos, argumentando que seu pão é um alimento "básico" e, portanto, sujeito a uma alíquota de 0%.

Cinco juízes julgaram o caso, determinando que o pão do Subway contém muito açúcar para fazer parte desta categoria e, portanto, está sujeito a um imposto mais elevado.

Leia também:
Burger King: não ficamos em cima do muro e ESG é realidade, diz vice-presidente
Vtex, agora unicórnio, vai usar parte dos R$ 1,25 bilhão para contratar gênios

“O pão fornecido pela Subway em seus sanduíches tem um teor de açúcar de 10% do peso da farinha incluída na massa”, disse o juiz Donal O'Donnell ao proferir a sentença.

De acordo com a Lei Fiscal da Irlanda de 1972, o teor de açúcar não deve exceder 2% do peso da farinha na massa.

O juiz O'Donnell rejeitou os argumentos do franqueado, Bookfinders Ltd, e decidiu que "o produto resultante não se enquadra na definição de 'pão' para os fins da Lei".

Um porta-voz do Subway disse em um comunicado à CNN: "O pão do Subway é, claro, pão. Fazemos pão fresco em nossos restaurantes há mais de três décadas e nossos clientes voltam todos os dias para comer sanduíches feitos com pão que cheira tão bem quanto é gostoso."

A CNN entrou em contato com a Bookfinders Ltd para comentar.

Subway é a maior rede de fast food do mundo. Existem 145 unidades da empresa na Irlanda, de acordo com o site da companhia, além de mais de 22 mil nos Estados Unidos e cerca de 38 mil em todo o mundo.

Em 2018, a rede fechou mais de mil lojas nos EUA como parte de um esforço de redução do tamanho após lutar para se adaptar a clientes mais preocupados com a saúde e conhecedores de tecnologia.

Já em setembro de 2019, o Subway tentou se adaptar às mudanças nas preferências do consumidor testando o “Beyond Meatball”, um sanduíche que levava proteína vigital. 

Com a decisão, o Subway se juntou a um número crescente de cadeias de fast food testando substitutos de carne.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook