Minério de ferro cai na China com aumento de estoques e demanda fraca por aço

O contrato mais negociado do minério de ferro na bolsa de Dalian, para janeiro de 2021, encerrou em queda de 2,2%, a 787,50 iuanes por tonelada

Reuters
15 de outubro de 2020 às 09:32
Pilhas de minério de ferro importado em um porto em Zhoushan, China (09.mai.2019)
Foto: Stringer/Reuters

Os futuros do minério de ferro ampliaram perdas nesta quinta-feira (15) e o contrato de referência na bolsa de Dalian tocou nova mínima de duas semanas, com crescentes estoques do material em portos e o enfraquecimento da demanda física por produtos de aço pesando sobre o sentimento do mercado.

O contrato mais negociado do minério de ferro na bolsa de Dalian, para janeiro de 2021, encerrou em queda de 2,2%, a 787,50 iuanes por tonelada. O contrato chegou a cair para 783,50 iuanes mais cedo na sessão, o nível mais fraco desde 30 de setembro.

Leia também:
Exportação de minério de ferro do Brasil aumenta quase 20% em setembro
Vale atrasa reparações pós-acidentes e cobranças podem endurecer, diz MPF

Na bolsa de Cingapura, o primeiro contrato, para novembro, recuava 0,6%, para US$ 114,45 por tonelada, na quarta sessão consecutiva de perdas.

"Os fundamentos parecem fracos, especialmente com relação aos estoques em ala nos portos", disse o economista do OCBC Bank em Cingapura, Howie Lee.

Os estoques em portos na China avançaram para o maior nível em sete meses na semana passada, a 123,6 milhões de toneladas, segundo dados da consultoria Mysteel.

No lado da oferta, Austrália e Brasil continuam a aumentar seus embarques de minério de ferro, enquanto a demanda chinesa por produtos de aço e matérias-primas está relativamente fraca, o que deve manter os estoques em alta na China.

No aço, os futuros do vergalhão na bolsa de Xangai recuaram 0,3%.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook