American Airlines planeja retomar voos com Boeing 737 Max em dezembro


Jazmin Goodwin, do CNN Business em Nova York
18 de outubro de 2020 às 16:30
Boeing

Boeing 737 MAX: Modelo deixou de voar em 2019 após dois acidentes

Foto: Mike Siegel - 30/9/2020/Pool via REUTERS

A American Airlines planeja retomar os voos de passageiros com o Boeing 737 Max até o final do ano. As datas de retorno ao serviço são “altamente dependentes” da nova certificação da Federal Aviation Administration (FAA), de acordo com um informe da companhia aérea feito no domingo (18).

O Max deixou de voar em todo o mundo a partir de março de 2019 após dois acidentes que mataram 364 pessoas.

Leia também:

Novo estudo reafirma risco baixo de se pegar Covid-19 em avião (usando máscara)

Novo imposto taxaria programas de pontos e de milhas

A American disse que, depois de certificado, ele vai introduzir o 737 Max em fases, começando com um voo diário da aeronave uma vez por dia entre Miami e Nova York, de 29 de dezembro a 4 de janeiro. A empresa também considerará a extensão dos voos além desse período.

“Continuamos em contato com a FAA e a Boeing sobre o processo de certificação e continuaremos atualizando nossos planos com base na data de certificação da aeronave”, afirmou o comunicado.

Segundo a American, a nova lista de voos estará disponível para reserva já em 24 de outubro e os clientes serão informados de que estarão voando em um Max.

Recentemente, a empresa cortou nove mil empregos depois que os pedidos de mais ajuda federal para o coronavírus não foram atendidos. A companhia aérea deve divulgar seus ganhos em 22 de outubro. No primeiro semestre do ano, a empresa perdeu US$ 5 bilhões, com o avanço da pandemia de coronavírus afetando o setor de aviação civil.

No início de outubro, a FAA publicou um rascunho do treinamento do piloto proposto para o Max, composto por apenas de uma meia dúzia de etapas processuais que a agência definiu e que precisarão ser concluídas antes de conceder a aprovação final para as companhias aéreas voarem no avião novamente.

Na sexta-feira (16), a Agência de Segurança da Aviação da UE confirmou que a aprovação está próxima, mas o processo ainda levará um mês para ser concluída.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)