Heineken tem queda de 76% no lucro até setembro e ação cai 4% em Amsterdã

A empresa anunciou que pretende reduzir custos com pessoal em cerca de 20%, dentro de um plano que começará a ser implementado no primeiro trimestre de 2021

Sergio Caldas, do Estadão Conteúdo
28 de outubro de 2020 às 10:28

Cervejaria holandesa é a segunda maior do mundo

Foto: Kham/Reuters

A holandesa Heineken, segunda maior cervejaria do mundo, divulgou nesta quarta-feira (28) que teve lucro líquido de € 396 milhões (US$ 467 milhões) entre janeiro e setembro de 2020.

O valor é 76% menor do que o ganho de € 1,67 bilhão obtido no mesmo intervalo do ano passado, em meio ao impacto da pandemia do novo coronavírus.

Leia também:
Havan deve retomar IPO em 2021 e busca avaliação de R$ 70 bi
Dia D dos resultados: o que esperar do balanço da Vale, Petrobras, GPA e Gerdau

Apenas no terceiro trimestre, o volume consolidado de cerveja sofreu um declínio orgânico anual de 1,9%, menor do que a queda de 5,9% esperada por analistas.

Também anunciou que pretende reduzir custos com pessoal em cerca de 20%, dentro de um plano que começará a ser implementado no primeiro trimestre de 2021.

Por volta das 10h20, a ação da Heineken operava em baixa de cerca de 4% na Bolsa de Amsterdã.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook