Investidor cria 'Reclame Aqui' para postar feedbacks sobre cursos de day trade


Matheus Prado, do CNN Brasil Business, em São Paulo
29 de outubro de 2020 às 12:22
Operador de investimentos

Segundo uma pesquisa com quase 100 mil pessoas que começaram a fazer day trade em ações no Brasil entre 2013 e 2016 e operaram até 2018, apenas 127 conseguiram, em média, lucro bruto acima de R$ 100 por mais de 300 sessões

Foto: @adamaszczos/Unsplash

Contar dinheiro num jatinho, passear de carrão na Europa ou tomar um cafézinho em Miami, enquanto opera na Bolsa. Todo mundo já viu alguma propaganda inusitada na internet que mostra essas cenas enquanto o narrador fala sobre cursos ou mentorias de day trade. Mas, apesar de pitorescos a ponto de virar memes, esses vídeos chamam atenção, e o segmento explodiu durante a pandemia do novo coronavírus.

E o cenário que permitiu isso não é difícil de se desenhar: um país com a menor taxa básica de juros de sua história enfrentando uma pandemia global que paralisou a economia durante meses. Muita gente precisou ficar em casa, e muita dessa gente não tinha renda. Coincidência ou não, na hora do desespero, aparece um cara falando que vai te ensinar a ganhar dinheiro fácil. 

Leia também:
Adeus, selinhos: Pão de Açúcar e Raia Drogasil inovam no programa de fidelidade
Movimento de compra de corretoras de investimento por bancos é bom para quem?
COEs são os novos títulos de capitalização? Levantamento da FGV mostra números

Mas não é tão fácil assim, e dados do Reclame Aqui corroboram isso. As reclamações que envolviam termos como trader, day trade e trading cresceram 58% em junho de 2020, em relação a março.

Bem antes disso, o agricultor Gustavo Melo já havia se incomodado com as promessas desses cursos. Em meados de 2019, ele criou no Instagram a página Reclame Aqui do Trader, perfil em que posta feedbacks de alunos de cursos de day trade. Em seguida, ele procura os donos dos treinamentos para responder às queixas de quem se sentiu lesado. 

"Cheguei a fazer três cursos e acreditei que poderia ter ganhos exponenciais, porque era leigo na época", diz. "Além disso, alguns amigos tiveram experiências muito ruins com esse tipo de treinamento. Um deles chegou a pedir demissão e utilizou o dinheiro da rescisão para pagar um curso e aplicar o restante na bolsa. Perdeu tudo." 

Melo afirma que recebe relatos como esse diariamente, e que eles aumentaram nos últimos meses. Durante o período de isolamento social, não só aumentou o número de reclamações, como também cresceu a variedade de cursos e traders das quais as pessoas reclamam.

Nos feedbacks, é possível encontrar uma série de problemas. Alguns por falta de acompanhamento do mentor e inconsistência no conteúdo oferecido, outros por não obtenção de resultados prometidos, ou até por mau funcionamento de robôs que deveriam garantir ganhos aos clientes - algo que não condiz com o funcionamento regular do mercado financeiro.

O dono da página cita ainda um padrão preocupante que tem encontrado nos cursos. Poucos deles mostram a experiência real, com o profissional operando na hora. "A maioria mostra vídeos de coisas que já aconteceram, o que dificulta o aprendizado e facilita para quem está vendendo a ideia."

Para tentar equilibrar as coisas, Melo dá também espaço para que os professores respondam às queixas. Alguns não retornam o pedido de resposta, e, aqueles que o fazem, muitas vezes culpam o cliente e dizem que se trata uma minoria insatisfeita. 

Numa das postagens, um cliente acusa o vendedor de um curso de ocultar resultados negativos e de dizer que "aqueles que não conseguem lucrar precisam de um psiquiatra para trabalhar o mental". Além disso, "quando não entramos numa operação, ele diz que somos bundões, medrosos", diz no texto.

Em resposta, o trader diz que aconselha parte dos alunos a procurar um psiquiatra para tratar da ansiedade, porque ele mesmo fez isso. "Deve ser um medroso e sensível que chora por qualquer coisa", afirma. 

Melo diz ainda que, por vezes, a coisa sobra até para ele. "Recebo ameaças constantemente, algumas delas de morte. Mas é algo que estou disposto a aturar para que menos pessoas sejam lesadas dessa forma", diz. 

Dá pra ganhar dinheiro?

Uma pesquisa de Fernando Chague e Bruno Giovannetti, da FGV, analisou quase 100 mil pessoas que começaram a realizar operações de day trade em ações no Brasil entre 2013 e 2016, e operaram até 2018. Destes, apenas 127 conseguiram, em média, lucro bruto acima de R$ 100 por mais de 300 sessões. A esmagadora maioria, 99,43%, nem sequer persistiu na atividade.

“Existe uma associação que podemos fazer com cassino. Você vai lá e aposta em determinado número e ganha. Com esse resultado, você pensa que pode ficar milionário fazendo isso. Mas tente fazer isso todo dia para ver o resultado”, disse o professor de finanças do Insper e sócio da Casa do Investidor, Michael Viriato, ao programa Carteira Inteligente da CNN.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook