Papa altera administração de fundos do Vaticano após escândalo imobiliário


Philip Pullella, da Reuters
05 de novembro de 2020 às 13:32
Papa Francisco no Vaticano

Papa Francisco no Vaticano

Foto: Guglielmo Mangiapane/Reuters (02.set.2020)


O papa Francisco retirou do Secretariado de Estado do Vaticano o controle de seus próprios fundos, colocando-os sob a supervisão de seus escritórios econômicos, na tentativa de conter as consequências de um escândalo a respeito de um negócio com uma propriedade de luxo em Londres.

O Secretariado de Estado é o departamento mais importante da administração do Vaticano. Ele supervisiona a diplomacia da Santa Sé e os assuntos gerais dentro do Vaticano e costuma controlar seus próprios fundos, investimentos e bens imobiliários.

Leia também:
CVM inabilita ex-diretores da Petrobras Paulo Costa e Renato Duque por 15 anos
Sem máscara, papa diz que Covid-19 é 'senhora durona' e deve ser obedecida

Uma investigação do negócio de Londres, que envolveu vários intermediários, levou à suspensão no ano passado de cinco funcionários do Vaticano, à renúncia de seu chefe de polícia e à saída do ex-chefe da Autoridade de Informação Financeira no ano passado.

Em uma carta divulgada pela assessoria de imprensa do Vaticano nesta quinta-feira, o papa disse que está transferindo todos os bens a um departamento do Vaticano chamado Apsa, que os gerenciará, e que eles serão supervisionados pelo Secretariado de Economia.

Os bens do Secretariado de Estado incluem um fundo anual para as instituições de caridade do papa.

Em setembro, Francisco demitiu o cardeal Angelo Becciu, que era o número 2 do Secretariado quando este comprou um edifício em Londres como investimento.

Becciu negou qualquer irregularidade depois que o papa alegou apropriação indevida e nepotismo.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook