Banco Central passou em 'prova de fogo' no 1º dia do Pix, diz especialista

Filipe Pires, especialista em Finanças, avaliou o primeiro dia de funcionamento amplo do novo sistema de pagamentos do BC à CNN

Da CNN Brasil
17 de novembro de 2020 às 12:41

O Pix, novo sistema de pagamentos do Banco Central (BC), começou a funcionar na segunda-feira (16) com números robustos: foram mais de 1 milhão de transações que movimentaram cerca de R$ 777 milhões.

Para o especialista em Finanças, Filipe Pires, o BC passou por uma verdadeira "prova de fogo" na estreia do Pix.

"[O Pix] ainda gera desconfiança porque toda novidade é assim. Mas é uma plataforma do Banco Central que tem requisitos de segurança maiores até do que os meios tradicionais de transferência, TED e DOC, exatamente pela questão da transferência ser instântanea. Isso acabou requerindo uma instrução diferenciada em termos de segurança pelo próprio BC", explicou à CNN nesta terça-feira (17).

Leia mais:

BC: Pix não tem nada a ver com 'nova CPMF' e WhatsApp Pay estreará em breve
Multa eleitoral poderá ser paga pelo Pix; PagTesouro começa a usar sistema do BC
Pix registra falhas, mas BC descarta 'instabilidade'

No primeiro dia de funcionamento ao público-geral, houve relatos de dificuldades para a transferência de valores pelo Pix, mas o BC descartou qualquer instabilidade do sistema. Segundo o órgão, houve ocorrências esparsas de falhas nos pagamentos, como demora além do esperado para que o saldo pago fosse creditado na conta de destino.

Pix estreou para público-geral na última segunda-feira (16) 

Foto: Álvaro Henrique/Divulgação/Secretaria de Educação

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook