Quem se pronuncia sobre venda de reservas é o BC, diz secretário de Guedes


Anna Russi, do CNN Business, em Brasília
20 de novembro de 2020 às 16:30
Secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues
Secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, reitera que o Banco Central é o órgão responsável pela venda de reservas internacionais
Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

Após o ministro da Economia, Paulo Guedes, dizer, na última quinta-feira (19), que o Brasil poderia vender reservas internacionais para reduzir a dívida pública, o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, reforçou que cabe ao Banco Central tomar tal decisão. 

“Sobre venda de reservas internacionais fala o BC, sobre ficar atento ao nível de endividamento se expressa o Ministério da Economia”, afirmou em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (20).

Leia também:
Correios gastam R$ 2 bilhões com benefícios de assistência à saúde
Guedes quer vender reservas, mas será que já combinou com o BC?

Segundo Rodrigues, a fala do ministro entra em um contexto de gestão macroeconômica “mais integrada” e “melhor desenhada”. “Caso o BC decida tomar essas ações, há impacto positivo inclusive sobre o montante da dívida bruta”, explicou. 

As reservas internacionais em dólar servem como uma espécie de seguro para momentos de crise e garante que aquele país terá moeda estrangeira para cumprir suas obrigações com o resto do mundo. Caso o Banco Central venda parte do montante que tem em dólar, o país terá mais moeda doméstica à sua disposição. Ou seja, ele pode usar o recurso para comprar papéis da dívida pública brasileira, o que reduziria o estoque da mesma.

Assim, na avaliação do secretário, faz parte da boa gestão macroeconômica entender quais são as ações que permitiram a redução da dívida pública.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook