Volkswagen avalia desmembramento das marcas Lamborghini e Ducati


Peter Valdes-Dapena, do CNN Business
21 de novembro de 2020 às 06:00
Lamborghini
Lamborghini Essenza SCV12
Foto: Divulgação/Lamborghini

Os executivos do Grupo Volkswagen confirmaram que estão considerando a separação das marcas italianas premium da montadora, incluindo a fabricante de supercarros Lamborghini.

O possível desmembramento também incluiria a fabricante de motocicletas Ducati e a Italdesign Giugiaro, uma empresa de consultoria em design e engenharia.

Leia também:
Os planos da Arezzo no pós-pandemia: Reserva, marketplace e brechó de luxo
Como o presidente do Airbnb foi convencido a promover um IPO que não queria

O CEO da VW, Herbert Diess, indicou durante uma teleconferência com analistas na segunda-feira (16) que a empresa tem trabalhado para reestruturar as três marcas italianas com o objetivo de transformá-las em um negócio separado.

Entretanto, não é certo que isso vai necessariamente acontecer. "Estamos trazendo isso para uma estrutura jurídica onde poderíamos agir, mas ainda não está decidido", acrescentou o CEO.

A VW poderia seguir os passos da Fiat Chrysler Automobiles (FCAU), que  desmembrou a Ferrari (RACE) em 2016 como uma empresa separada e com sua própria listagem de ações. A Exor, uma empresa controlada pela família Agnelli, descendente do fundador da Fiat, Giovanni Agnelli, possui uma grande participação na FCA e uma participação igualmente grande na Ferrari.

O atual CEO da Lamborghini, Stefano Domenicali, anunciou no início deste ano que deixaria a empresa para assumir uma nova posição como CEO da Fórmula 1. Na quarta-feira (18), a Volkswagen anunciou que Stephan Winkelmann retornará como CEO e presidente da Lamborghini, cargo que ocupou pela última vez de 2005 a 2016. Ele também manterá sua posição atual como presidente da Bugatti, que também é de propriedade do Grupo VW.

A Volkswagen também tem pensado em vender ou trocar a marca Bugatti. Nem o Grupo VW nem a Bugatti confirmaram esses relatos quando questionados recentemente.

A Audi, subsidiária de carros de luxo do Grupo Volkswagen, é dona da Lamborghini. A Lamborghini, por sua vez, é dona da Italdesign e da Ducati.

As vendas globais da Lamborghini, embora mínimas para os padrões normais da indústria automobilística, quase dobraram nos últimos anos graças ao lançamento do SUV Urus crossover. O Urus possui muito de sua engenharia em comum com outros modelos do Grupo Volkswagen, incluindo o Audi Q8 e o Bentley Bentayga. A Lamborghini vendeu 8,3 mil veículos no ano passado, de acordo com o relatório anual do Grupo Volkswagen.

A Ducati é conhecida por motocicletas de alto desempenho, como a Panigale V4 de 214 cavalos. Vende cerca de 50 mil motos por ano em todo o mundo.

A Italdesign Giugiaro é uma empresa de consultoria em design e engenharia que foi fundada, em parte, pelo célebre designer italiano de automóveis Giorgetto Giugiaro em 1968. Entre muitos outros carros, Giugiaro é conhecido por seu trabalho no DMC DeLorean e no Volkswagen Golf original.

Na estrutura atual da VW, a Audi, a Lamborghini e a Ducati estão reunidas no grupo de marcas Premium, enquanto Porsche, Bentley e Bugatti formam o grupo Sport e Luxo. A marca de automóveis Volkswagen, juntamente com a SEAT, com sede na Espanha, e a Škoda, com sede na República Tcheca, fazem parte do grupo de marcas Volume da VW.

A Lamborghini, a Bentley e a Bugatti foram adquiridas separadamente pelo Grupo Volkswagen em 1998.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)