Economia alemã cresce 8,5% no 3º tri, mas temores de recessão crescem

A recuperação mais forte do que o esperado deveu-se principalmente a gastos mais altos das famílias e aumento das exportações

Da Reuters
24 de novembro de 2020 às 08:14
Fábrica da Porsche em Stuttgart, Alemanha (19/03/2019)
Foto: Ralph Orlowski/Reuters

O Produto Interno Bruto da Alemanha cresceu um recorde de 8,5% no terceiro trimestre uma vez que a maior economia da Europa se recuperou parcialmente da pandemia de Covid-19, informou nesta terça-feira (24) a agência de estatísticas Destatis.

A recuperação mais forte do que o esperado deveu-se principalmente a gastos mais altos das famílias e aumento das exportações, disse a agência.

Leia também:
GM faz recall global de 7 milhões de carros por problemas em airbag
Masa Son, bilionário do SoftBank, estoca dinheiro para o 'pior cenário'

"Isso permitiu que a economia alemã compensasse grande parte do forte declínio no Produto Interno Bruto provocado pela pandemia de coronavírus no segundo trimestre de 2020", acrescentou.

Essa leitura marcou revisão para cima na estimativa preliminar de crescimento de 8,2%, e seguiu-se a uma queda de 9,8% no segundo trimestre.

A perspectiva entretanto é prejudicada por uma segunda onda de infecções por coronavírus e lockdown parcial para desacelerar a disseminação da doença. Restaurantes, bares, hotéis e locais de entretenimento estão fechados desde 2 de novembro, mas lojas e escolas permanecem abertas.

Uma contração no setor de serviços deve pesar com força sobre o PIB no quarto trimestre, enquanto as medidas de lockdown em outros países devem afetar a indústria orientada para exportação também.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook