Pix movimentou R$ 9,3 bilhões em 12,2 milhões de operações na primeira semana


Anna Russi, do CNN Brasil Business, em Brasília
24 de novembro de 2020 às 12:34 | Atualizado 24 de novembro de 2020 às 13:55

 

O novo sistema de pagamentos instantâneos, o Pix, registrou 12,2 milhões de operações, as quais movimentaram um total de R$ 9,3 bilhões na primeira semana de funcionamento pleno. 

O balanço foi publicado pelo Banco Central nesta terça-feira (24). O chefe do departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do Banco Central, Ângelo Duarte, destacou que apesar da estabilidade no número de operações ao longo da semana, o volume financeiro avançou. 

Leia também:
77% dos empresários não se sentem prontos para Pix, aponta pesquisa da Stone
Pix será melhor para empresários que transações em espécie, diz Febraban

Pagamento por QR Code, pix
Pagamento por QR Code
Foto: Proxyclick Visitor Management System/Unsplash


"Isso significa que o tíquete médio, a operação média do Pix está crescendo. Se houve estabilidade no número de operações e o volume financeiro está aumentando, significa que o valor médio está subindo. E isso significa que as pessoas estão ganhando mais confiança no Pix. Você usa a primeira vez com uma transação de baixo valor porque não conhece muito bem e tem medo de cometer algum erro, mas a medida que vão se acostumando, vão fazendo transações de maior valor", explicou.

Enquanto no primeiro dia foram R$ 1,161 bilhão movimentados, no quinto dia as operações movimentaram R$ 2,125 bilhões. No final de semana, no entanto, o volume financeiro caiu, assim como o número de operações realizadas: foram 2.442 transações, equivalentes a R$ 782 milhões, no sábado e domingo juntos. 

"Essa diferença entre a semana e o final de semana tende a diminuir a medida que as transações comerciais se tornem mais frequentes através do Pix", observou Duarte. 

Até o último domingo (22), já eram 83.490 milhões de chaves registradas. Desse total, 79,8 milhões são em nome de pessoas físicas. "O número de chaves é um bom sinal da penetração e aceitação do Pix", avaliou Duarte. 

Segundo o BC, 34,5 milhões de pessoas físicas e outras 2,2 milhões de pessoas jurídicas estão cadastradas no sistema. 

Os consumidores podem ter até cinco chaves por conta. Já as empresas podem registrar até 20 chaves. Do total de chaves, a 79,8 milhões foram realizadas com o número do CPF. Em segundo lugar, estão as chaves com números de telefone, que somam 19,5 milhões. Em seguida, estão 18,7 milhões de chaves aleatórias, com números fornecidos pelo próprio sistema.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook