Lojas online perderam R$ 12 mi nas primeiras 12 horas da Black Friday

A empresa Sofist, que fez o levantamento, afirma que a estimativa tem base no prejuízo por hora, que é de R$ 3,15 milhões

Wesley Santana, colaboração para o CNN Brasil Business
27 de novembro de 2020 às 19:48 | Atualizado 30 de novembro de 2020 às 16:42
Foto: rupixen.com/Unsplash

As primeiras 12 horas da Black Friday 2020 renderam um prejuízo de R$ 12 milhões às lojas online, de acordo com um estudo preliminar divulgado nesta sexta-feira (27). Esse dado reflete os problemas técnicos enfrentados pelas empresas no intervalo, que diminuiu cerca de 34% quando comparado ao mesmo período do ano passado. 

Leia também:
O que é cashback e para que serve? Conheça empresas que dão o benefício
Presidente do Procon dá dicas de como evitar fraudes na Black Friday

Realizado pela Sofist, uma consultoria de qualidade de software, o relatório foi produzido a partir do monitoramento dos servidores de 105 lojas online. Desta forma, a empresa coletou dados desde as 22 horas da quinta-feira (26), quando foi dada a largada para o período promocional. 

Às 10h desta sexta, metade dos sites monitorados havia apresentado algum tipo de instabilidade e, juntos, somaram quase 4 horas fora do ar. 

A empresa afirma que a estimativa tem base no prejuízo por hora, que é de R$ 3,15 milhões. Assim, quando multiplicado pelas 4 horas de indisponibilidade, o relatório revela perda superior aos R$ 12 milhões.

Também foram consideradas estimativas de ticket médio, R$ 602, segundo a Ebit, e a quantidade de acessos por hora, que é de 318 mil. Dados sobre as plataformas monitoradas não foram divulgados. 

Internautas esperaram menos para acessar as páginas

O estudo também mostrou que, nas primeiras 4 horas, o tempo médio de carregamento das páginas foi de 4,3 segundos e abaixou exponencialmente para 4,1 segundos durante as primeiras 12 horas do evento. O maior tempo avaliado no período foi de 45 segundos.

Bruno Abreu, CEO da Sofist, avalia que houve muita lentidão e instabilidade nas lojas virtuais durante a abertura do evento. Ele comenta que, apesar disso, o saldo da Black Friday é muito positivo quando são comparados os dados das edições anteriores. 

“Apenas 5 dos 105 e-commerces monitorados fizeram uso de páginas ou filas de espera. Comparado com 2019, o tempo de utilização desse recurso foi aproximadamente seis vezes menor, ou seja, os usuários tiveram que esperar menos”, afirma.

Clique aqui e siga o perfil do CNN Brasil Business no Facebook