Singapura se torna o primeiro país a aprovar carne cultivada em laboratório

Singapura concedeu a uma startup a aprovação para vender seu frango criado em laboratório. Trata-se do primeiro governo a permitir uma comercialização do tipo

Por Amy Woodyatt e Danielle Wiener-Bronner, do CNN Business
03 de dezembro de 2020 às 00:23
Inicialmente, os cubinhos de frango vão estrear em um restaurante de Singapura,
Inicialmente, os cubinhos de frango vão estrear em um restaurante de Singapura, com planos para uma expansão mais ampla em restaurantes e estabelecimentos de varejo no país
Foto: Eat Just/ Reprodução


Singapura concedeu à startup norte-americana Eat Just Inc. a aprovação regulatória para vender seu frango criado em laboratório. Trata-se do primeiro governo do mundo a permitir a comercialização de carne cultivada.

Criado a partir de células cultivadas de frango, o produto foi aprovado como ingrediente do produto “cubinhos de frango” após a aprovação da Agência de Alimentos de Singapura (SFA), segundo informou a empresa Eat Just na terça-feira (1). A start-up é sediada em San Francisco.

Leia também:
As 50 melhores comidas do mundo

Inicialmente, os cubinhos de frango vão estrear em um restaurante de Singapura, com planos para uma expansão mais ampla em restaurantes e estabelecimentos de varejo no país, segundo Josh Tetrick, cofundador e CEO da Eat Just, disse à CNN Business. O preço do produto será igual ao do frango premium, acrescentou.

“Temos comido carne por muitas centenas, milhares de anos, sempre precisando matar um animal para comer – até agora”, afirmou.

A carne cultivada é criada em um biorreator, um aparelho no qual ocorre uma reação ou mudança biológica, tem alto teor de proteínas e é uma rica fonte de minerais. Segundo a empresa, o nome comercial deve ter a marca GOOD Meat.

Por enquanto, com centros de manufatura em Singapura e norte da Califórnia, a empresa só tem aprovação para vender a carne em Singapura, mas espera expandir as vendas de carne cultivada (incluindo carne bovina cultivada) para os EUA e Europa Ocidental, disse Tetrick. A Eat Just já produz uma variedade de produtos não animais, incluindo Just Egg, feito com feijão moyashi e uma maionese vegana.