Sala VIP não é só para quem viaja em executiva. Veja como ter acesso

Vinícius Casagrande, colaboração para o CNN Brasil Business, em São Paulo
06 de dezembro de 2020 às 05:00
Sala VIP para passageiros no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (SP)
Sala VIP para passageiros no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (SP)
Foto: Divulgação

Esperar o voo em uma sala confortável do aeroporto, com certa privacidade, sofás espaçosos e comidas e bebidas grátis e sofisticadas não é um privilégio apenas de quem viaja na primeira classe ou em executiva. Os passageiros da classe econômica também podem ter acesso às salas VIP dos aeroportos de todo mundo.

Os terminais aeroportuários contam com cada vez mais salas especiais desse tipo. A ideia é aumentar o acesso, mas sem perder o conceito principal de proporcionar conforto e sofisticação.

Leia também:

Gol pode ser a primeira aérea do mundo a retomar voos com o Boeing 737 Max
Como serão as cabines de avião no futuro pós-pandemia?

Atualmente, existem diversas formas de ter acesso às salas VIP dos aeroportos. Na maioria dos casos, a entrada é grátis, mas há também a opção de pagar pelo acesso. Há salas que são mais exclusivas, com serviço mais sofisticados, enquanto em outras a entrada é mais fácil e o serviço também é mais simples.

Voo em primeira classe ou executiva

O acesso mais tradicional às salas VIP é justamente para os passageiros que viajam em primeira classe ou executiva. Na maioria das vezes, basta apresentar o cartão de embarque na recepção para o acesso ser liberado. Em alguns casos, o passageiro recebe um voucher no momento do check-in para poder usar a sala VIP. Nessa situação, o acesso é sempre sem custo para o passageiro. 

Cartão de crédito

Para quem viaja em classe econômica, a maneira mais simples de ter acesso à sala VIP é com o uso do cartão de crédito --mas é usar o cartão de crédito sem fazer nenhum pagamento. É que além do acúmulo de pontos, muitos cartões de crédito também dão acesso à sala VIP.

O benefício varia de acordo com o tipo do cartão de crédito, bandeira e instituição financeira. Algumas bandeiras têm salas próprias, como American Express e Mastercard. Outras contam com parcerias com programas específicos para acesso à sala VIP, como Lounge Key (veja mais detalhes abaixo).

Outra opção são os cartões de crédito cobranded, criados em parceira com programas de fidelidade ou companhias aéreas. É o caso, por exemplo, do Smiles Visa Infinite. Portadores do cartão podem usar as salas da Gol, desde que estejam voando pela companhia.

Esse benefício geralmente é oferecido pelos cartões top de linha, voltados a um público de renda e gastos mais altos. Em muitos casos, a anuidade pode passar dos R$ 1.000, mas esse valor pode ser negociado de acordo com o perfil de uso do cliente.

O American Express The Platinum Card tem anuidade de cerca de R$ 1.400. Com ele, o cliente tem direito a acesso gratuito a diversas salas VIP ao redor do mundo e ainda pode levar um acompanhante sem custo nenhum.

Programas de fidelidade

Outra forma de ter acesso às salas VIP sem precisar desembolsar nada é com os programas de fidelidade das companhias aéreas. O benefício é dado aos passageiros frequentes e com status mais elevados. 

No Smiles, os clientes Diamante tem acesso livre e ainda podem levar um acompanhante. Já os clientes Ouro têm a sua entrada grátis, mas o acompanhante paga 50% do valor do ingresso. Além do status do programa de fidelidade, também é preciso estar viajando com a Gol ou alguma companhia aérea parceira em caso de voos internacionais.

No programa TudoAzul, os clientes com status Diamante têm cesso ao lounge Azul nos aeroportos de Viracopos, em Campinas (SP), e de Lisboa (Portugal). As salas VIP são apenas para voos internacionais.

No programa Latam Pass, os clientes das categorias Platinum e Black podem acessar as salas VIP da empresa e de companhias parceiras com um acompanhante quando viajarem pela Latam. Os clientes Black Signature podem levar todos os membros da família (cônjuge e filhos ou pais), além de um acompanhante.

Priority Pass

Quem viaja com frequência, mas não tem um cartão de crédito poderoso nem status elevado em programas de fidelidade pode se associar a um programa de acesso a salas VIP em todo o mundo. O Priority Pass funciona como um clube de assinatura. 

O cliente paga uma taxa anual para ter direito a uma gama de benefícios. A vantagem desse programa é que o passageiro pode voar em qualquer companhia aérea, independentemente da classe de cabine, para ter acesso. 

O Priority Pass é associado a mais de 1.300 salas VIP ao redor do mundo, sendo 12 em aeroportos brasileiros. O programa tem três planos de associado. O mais barato tem uma taxa anual de US$ 99 e a cada visita a uma sala VIP é cobrada uma taxa extra de US$ 32. O plano intermediário custa US$ 299 e dá direito a dez visitas gratuitas. No plano principal, a taxa anual de US$ 429 dá acesso ilimitado.

Outro programa similar é o Lounge Key. A diferença é que ele precisa estar associado a algum cartão de crédito e não é possível comprar o passe de forma individual. Na prática, o que muitos cartões fazem é dar como benefício ao usuário o passe anual do programa.

Compra de entrada individual

Algumas salas VIP simplesmente vendem entradas individuais para os passageiros que viajam em classe econômica e não contam com nenhum tipo de acesso gratuito. Normalmente são salas que não estão associadas a nenhuma companhia aérea específica.

O preço do acesso pode variar de US$ 40, para uma permanência limitada a três horas, até US$ 100, em salas mais sofisticadas. O programa Lounge Pass vende de forma antecipada a entrada em mais de 400 salas ao redor do mundo.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook