Ação da Vale está batendo recordes, mas deve subir ainda mais em 2021, diz Safra

A Vale é uma empresa que já está em seu valor de mercado histórico, próximo de R$ 450 bilhões. De janeiro para cá, as ações da companhia já subiram quase 66%

Raphael Coraccini, colaboração para o CNN Brasil Business
14 de dezembro de 2020 às 05:00
Logo da Vale em prédio no Rio de Janeiro: empresa está em alta nesse último ano
Foto: Ricardo Moraes/Reuters

China comprando minério sem parar e, por isso, preço da commodity em alta. Para completar, real desvalorizado frente ao dólar ajuda na exportação. O horizonte para 2021 é bem positivo para a Vale (VALE3), segundo os analistas do Banco Safra. Em 2021, a ação da empresa deve subir mais 15% e chegar aos R$ 98.

Pode parecer pouco perto de valorizações em potencial de outras ações, mas a Vale é uma empresa que já está em seu valor de mercado histórico, próximo de R$ 450 bilhões. De janeiro para cá, as ações da empresa já subiram quase 66%. A China é o grande motor dessa alta.

Leia também:
Tem medo da bolsa? Algumas ações são mais estáveis que outras; veja a lista
Vale, Magalu: 10 ações recomendadas por corretoras para investir em dezembro

“Esperamos que os preços do minério de ferro continuem fortes no curto prazo, considerando a queda sazonal da produção no primeiro trimestre de 2021 e os baixos níveis de estoque na China”, avalia o banco Safra em relatório.

Os bons resultados devem se transformar em uma alta na distribuição de dividendos: cerca de 9% a mais nos próximos 2 anos.

Para 2021, segundo o relatório, o preço do minério de ferro deve bater US$ 100 e cair moderadamente em 2022 para US$ 85 a tonelada. A estimativa anterior do banco era de US$ 75 para o ano que vem e queda para US$ 65 no ano seguinte.  

Há, no entanto, riscos. O Safra alerta que há alguns fatores que podem comprometer o crescimento: dependência de licenças ambientais e certificações de terceiros para aumentar a produção, além de riscos ambientais relativos às barragens de rejeitos.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook