Construção civil espera queda no PIB de 4,4% neste ano, mas vê retomada em 2021

Os canteiros de obra geraram, nos 10 primeiros meses deste ano de pandemia, 138 mil vagas de emprego

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
17 de dezembro de 2020 às 14:13 | Atualizado 17 de dezembro de 2020 às 14:16
Setor de construção deve crescer em 2021, de acordo com estimativa
Foto: Heinz-Peter Bader - 10.mar.2020/ Reuters

O setor da construção civil acredita em queda de 4,4% no PIB, neste ano, com retomada em 2021 na ordem de 3,5%, de acordo com levantamento da Câmara Brasileira de Indústria da Construção, que será divulgado nesta quinta-feira (17).

Apesar do cenário incerto com a pandemia, o setor tem defendido a aprovação de reformas e cobrado mais investimentos. As expectativas somente para a construção civil são de retração de 2,8% neste ano, menos do que a economia em geral; no entanto, com expansão de 4% no próximo ano, mais do que a média nacional, podendo configurar o maior crescimento do setor desde 2013 (quando registrou 4,5%). 

Leia também:

Strada, Tracker e elétrico da Audi: relembre carros lançados em 2020 no Brasil

Governo prevê salário mínimo de R$ 1.088, mas valor pode ter que ser maior

Bitcoin e criptomoedas: entenda o que são e como investir

O balanço prega que a retomada do crescimento depende de investimentos e, ao comparar com outros países como Canadá, Portugal, Colômbia, Espanha, destaca que o Brasil tem a menor participação da construção civil na renda.

Os canteiros de obra geraram, nos 10 primeiros meses deste ano de pandemia, 138 mil vagas de emprego. Em mais uma comparação, este número perde apenas para 2013.

O setor atestou aumento do preço de matéria-prima, por causa da pandemia, neste ano. "De acordo com o INCC-Materiais e Equipamentos, calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), a alta de preços no período de janeiro a novembro foi de 17,72%, a maior do período pós-real. Alguns insumos chegaram a registrar aumentos superiores a 50% no mesmo período", afirma.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook