Apple testa nova forma de desbloquear iPhone sem remover a máscara

Só há um problema: o consumidor terá que ter um dispositivo Apple adicional

Samantha Murphy Kelly, do CNN Business
08 de fevereiro de 2021 às 09:33 | Atualizado 08 de fevereiro de 2021 às 10:19
Apple anunciou plano de neutralizar emissão de carbono até 2030
Foto: Gonzalo Fuentes -15.jul.2020/ Reuters

Alguns usuários de iPhone poderão, em breve, desbloquear seus celulares sem a necessidade de remover as máscaras faciais em público. Só há um problema: requer um dispositivo Apple adicional.

A Apple está testando um novo software iOS que permitirá que as pessoas desbloqueiem a ferramenta de segurança de reconhecimento de rosto do iPhone, o Face ID, caso também estejam usando um Apple Watch.

Atualmente, o Face ID reconhece quando alguém está usando uma máscara e aciona a tela de entrada de senha — uma atualização que a Apple começou a testar em maio.

Mas a última atualização, que faz parte de um teste de um desenvolvedor que deverá ser lançado em breve, permitirá que um iPhone se comunique com um Apple Watch de forma sincronizada quando usar o Face ID.

Quando a autenticação for concluída — os dispositivos devem estar próximos — o iPhone será desbloqueado automaticamente e o Apple Watch vibrará.

A Apple disse que os usuários precisarão optar por esse recurso.

Por motivos de segurança, a atualização só funcionará para desbloquear o telefone. Os usuários ainda precisarão digitar a senha para fazer transações através do Apple Pay, App Store ou iTunes se estiverem usando uma máscara.

A atualização mais recente é mais um passo em apoio ao uso de máscara durante a pandemia e um incentivo para clientes da Apple comprarem o Apple Watch, ou pelo menos usarem aquele que tem com mais frequência.

Embora o mais recente sistema operacional móvel da Apple seja lançado em setembro, a empresa faz atualizações constantes para corrigir bugs ou introduzir novos recursos. Também no final deste semestre, a Apple deve apresentar um novo requisito para os usuários darem permissão explícita aos aplicativos para rastreá-los pela internet.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)