Recorde do bitcoin é insustentável sem redução da volatilidade, diz JPMorgan

A criptomoeda atingiu US$ 51.300 nesta quarta-feira (17)

Tom Wilson, da Reuters
17 de fevereiro de 2021 às 09:16
Bitcoin
Foto: REUTERS/Dado Ruvic

 

A escalada do bitcoin não é sustentável a menos que as oscilações de preço reduzam rapidamente, disseram analistas do JPMorgan, em nota. A moeda digital bateu novo recorde nesta quarta-feira (17) ao ser negociada em US$ 51.300, alimentada por sinais de que está ganhando aceitação entre os principais investidores e empresas.

A volatilidade percebida nos últimos três meses do bitcoin é de 87% ante 16% do ouro, segundo o banco de investimento.

 

Já o valor de todo o bitcoin em circulação aumentou de US$ 200 bilhões em setembro para US$ 900 bilhões, disseram os analistas. O salto de US$ 700 bilhões resultou de uma injeção de "apenas" US$ 11 bilhões em fundos e mercados futuros por parte de investidores institucionais.

O fornecimento limitado de bitcoin — baseado em mineradores que produzem um determinado número de novas moedas — levou os detentores da moeda a cobrar um prêmio maior, disse o JPMorgan. Além disso, os fluxos de varejo também podem ter ampliado os fluxos institucionais, acrescentou.