'Não há mais como defender. Rebaixamos para venda', diz XP sobre Petrobras

Troca de comando na estatal gera mais incertezas em torno dos investimentos em suas ações, dizem analistas em relatório

Ligia Tuon, do CNN Brasil Business
21 de fevereiro de 2021 às 17:02
Fachada Petrobras Rio de Janeiro
Fachada da sede da Petrobras, no Rio de Janeiro (16.Out.2019)
Foto: Sergio Moraes/ Reuters

 

Dois dias depois de o governo federal indicar o general Joaquim Silva e Luna para presidência da Petrobras, a XP Investimentos rebaixou sua recomendação para as ações da estatal de neutra para venda. O preço alvo dos papeis PETR4 e PETR3 também foi revisado para R$ 24, dos anteriores R$ 32.

Em relatório entitulado "Petrobras (PETR4): Não há mais como defender; Rebaixamos para VENDA", a casa diz que mudança de recomendação reflete a troca de comando na companhia, que viu como uma sinalização negativa. 

 

"Tanto de uma perspectiva de governança, dados os riscos para a independência de gestão da Petrobras, como também por implicar riscos de que a companhia continue a praticar uma política de preços de combustíveis em linha com referências internacionais de preços, ou seja, que reflitam as variações dos preços de petróleo e câmbio", dizem os analistas Gabriel Francisco e Maira Maldonado no relatório.

A opinião dos analistas é que as incertezas em torno dos investimentos em ações da Petrobras farão com que seus ativos sejam negociados daqui em diante com um desconto mais alto em relação ao seu histórico e a outras petroleiras globais.

Sobre o comando de Joaquim Silva e Luna, embora ainda não seja possível tirar conclusões em relação a sua atuação, a XP ressalta que vê a mudança como um retrato dos riscos para a manutenção da política de preços de combustíveis da empresa. "(O anúncio) coloca em xeque a independência administrativa da Petrobras, principalmente tendo em vista sua motivação.

Além disso, vemos a proposta de mudança de gestão como um retrato dos riscos para a manutenção da política de preços de combustíveis da Petrobras em linha com referências internacionais, que havíamos anteriormente destacado em nosso recente relatório em que havíamos rebaixado as ações da Petrobras para Neutro

A indicação de troca do comando da petrobras pelo governo vem logo depois de a estatal anunciar que ia reajustar o litro da gasolina nas refinarias em 10,2% (R$ 2,48); o diesel, em 15,2% (R$ 2,58). O presidente Jair Bolsonaro já vinha mostrando irritação em relação à política de preços da estatal, que segue cotações internacionais. 

Após o anúncio, que foi feito no início da noite de ontem,os papéis da companhia negociados em Nova York chegaram a cair 10,95% no after market. As perdas se somaram à queda de 7,12% acumulada durante os negócios no pregão tradicional em Nova York.