Se você é acionista da Petrobras, se prepare para uma segunda-feira tensa

Intervenção de Jair Bolsonaro na Petrobras toma conta do noticiário do fim de semana e investidores já esperam uma baixa ainda mais forte nas ações da estatal

André Jankavski, do CNN Brasil Business, em São Paulo
22 de fevereiro de 2021 às 06:00
Plataforma da Petrobras na Bacia de Santos, no litoral do RJ
Plataforma da Petrobras na Bacia de Santos: ação da companhia deve sofrer na bolsa nesta segunda-feira
Foto: Pilar Olivares/Reuters

Desde a última quinta-feira (18), o mercado financeiro recebeu como uma avalanche as notícias envolvendo a Petrobras. Primeiro, Bolsonaro disse em uma live que promoveria mudanças na estatal, e no dia seguinte as ações da empresa já tiveram queda de quase 8%.

Mas o mais importante ainda estava por vir: na sexta (19), o presidente surpreendeu anunciando o general da reserva Joaquim Silva e Luna para a presidência da petrolífera. Depois de um final de semana cheio de notícias, tudo indica que essa segunda-feira será ainda pior para os acionistas da Petrobras.

Neste episódio, as críticas à política financeira do governo Bolsonaro depois das polêmicas envolvendo a Petrobras. Entenda também o anúncio do presidente de que também pode interferir no setor de energia. Em entrevista à CNN, o ex-secretário de privatização e desestatização Salim Mattar disse que o governo não é liberal e que o liberalismo econômico era apenas campanha eleitoral.

A confusão na Petrobras pode atingir não só os acionistas da empresa, mas também toda a economia brasileira, elevando a inflação e atrapalhando a retomada econômica. Em meio a tudo isso, essa semana o Congresso tem duas pautas importantes para encaminhar: a PEC e o Auxílio Emergencial.