Hapvida e Intermédica anunciam acordo de fusão e criam empresa de R$ 110 bi

Ao fim do negócio, os acionistas da Hapvida passariam a ter 53,6% das ações da companhia combinada, enquanto os investidores da GNDI deteriam 46,4%

André Jankavski, do CNN Brasil Business, em São Paulo
28 de fevereiro de 2021 às 10:18
Hospital Hapvida
Hospital da Hapvida: fusão com a NotreDame Intermédica criará gigante do setor de saúde
Foto: Hapvida/Divulgação

A Hapvida (HAPV3) e o Grupo NotreDame Intermédica (GNDI3) assinaram o acordo para combinação dos negócios. O contrato foi fechado no sábado à noite e deve criar uma gigante avaliada em cerca de R$ 110 bilhões. O negócio ainda tem que passar pela aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da Agência Nacional de Saúde (ANS).

“Temos a certeza de que teremos as aprovações e esse é o sonho grande da nossa família”, diz Jorge Pinheiro, CEO da Hapvida, em vídeo divulgado. “O racional mais importante e significativo dessa operação é ampliar e tomar cuidado do brasileiro.”

Segundo fato relevante divulgado pela empresa, as ações da Intermédica serão incorporadas pela Hapvida. Ao fim do negócio, os acionistas da Hapvida passariam a ter 53,6% das ações da companhia combinada, enquanto os investidores da GNDI deteriam 46,4%.

O documento também confirmou que a empresa terá dois CEOs caso o negócio seja aprovado. Irlau Machado, atual presidente da Intermédica, e Jorge Pinheiro, presidente da Hapvida, seguirão como os principais executivos.

Caso o negócio não saia por falta de aprovação dos órgãos reguladores, não existirá multa para nenhum dos lados. Porém, se o negócio não sair por uma proposta de um concorrente ou má-fé nas reuniões com os acionistas, a multa pode chegar a R$ 7 bilhões.

Os bancos BTG PAcutal e Itaú BBA atuaram como assessores financeiros da Hapvida, enquanto JP Morgan e Citibank foram os representantes da Intermédica. Ainda auxiliaram os escritórios de advocacia Pinheiro Neto Advogados e Madrona Advogados, pela Hapvida, e Mello e Torres Advogados, além do Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados.