Confiança do comércio cai para o menor nível desde maio, diz FGV

Em março, o indicador caiu em todos os seis principais segmentos do comércio e foi puxada pela piora das expectativas

Vinicius Neder, do Estadão Conteúdo
24 de março de 2021 às 10:02 | Atualizado 24 de março de 2021 às 21:03

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) caiu 18,5 pontos na passagem de fevereiro para março, para 72,5 pontos, a quarta queda consecutiva, informou nesta quarta-feira (24), a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com a queda, o Icom registrou o menor nível desde maio de 2020, no auge da crise causada pela Covid-19, quando ficou em 67,4 pontos. Em médias móveis trimestrais, o indicador recuou 6,4 pontos, na quinta queda seguida.

Segundo a FGV, em meio ao recrudescimento da pandemia, que atinge neste momento seu pior momento um ano após a chegada da covid-19 ao País, o Icom despencou por causa tanto da "queda no volume corrente de vendas, quanto pela piora das expectativas em relação aos próximos meses".

Comércio de rua e salões de beleza poderão reabrir no Rio
Foto: Tania Regô/Agência Brasil

 

"O recrudescimento recente da pandemia de Covid-19 associado à lentidão programa de imunização e à adoção de medidas de restrição à circulação, ajudam a explicar o cenário negativo na visão do setor. Os próximos meses serão desafiadores e o retorno a uma rota de recuperação dependerá da melhora efetiva dos números da pandemia", diz a nota divulgada há pouco pela FGV.

Em março, a confiança caiu em todos os seis principais segmentos do comércio e foi puxada pela piora das expectativas. O Índice de Situação Atual (ISA-COM) tombou 10,6 pontos, para 75,9 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE-COM) desabou 25,7 pontos para 70,2 pontos. Os dois subíndices registraram em março os menores níveis desde maio.

A coleta de dados para a edição de março da Sondagem do Comércio foi realizada entre os dias 1º e 22 do mês, com informações de 789 empresas.