Nubank vai investir R$ 1 milhão em startups de empreendedores negros

Proposta é colocar dinheiro em soluções de problemas de brasileiros que vão além das necessidades de uma classe alta ou média de grandes centros urbanos

Raphael Coraccini, colaboração para o CNN Brasil Business
24 de março de 2021 às 17:42
Nubank
Fachada do Nubank:
Foto: Paulo Whitaker/Reuters

 

O Nubank criou um programa de incentivo à inovação com a finalidade de chamar a atenção e combater a desigualdade que existe no mundo dos investimentos quando quem apresenta uma ideia é um empreendedor negro.

O programa Semente Preta foi lançado nesta quarta-feira (24) e var dar R$ 1 milhão para startups brasileiras fundadas por empreendedores negros, além de mentoria e networking.

Um estudo produzido pela BlackRocks aponta que apenas 30% das startups fundadas por pessoas negras receberam algum tipo de aporte durante a jornada para fundar ou consolidar o negócio. Nas empresas de tecnologia fundadas por pessoas não-negras, o percentual é de 41%. 

 

Para fazer parte do programa, a empresa precisa estar na etapa em que já tenha validado seu produto mínimo viável (MVP). A iniciativa vai levar em conta também a capacidade da empresa em impactar o mercado por meio da tecnologia. Além disso, serão considerados pontos como o fomento à diversidade e ao desenvolvimento regional.

O CEO e fundador do Nubank, David Vélez, diz que a proposta do banco digital é ajudar as empresas fundadas e lideradas por empreendedores negros e negras a enfrentar as barreiras impostas pelo mercado na hora de captar investimentos. "Queremos contribuir para acelerar a consolidação de um ambiente de tecnologia mais diverso e que reflita a pluralidade que existe hoje no Brasil”, afirma o executivo.

A proposta é colocar dinheiro em ideias que possam favorecer a resolução ampla de problemas dos brasileiros, para além das necessidades de uma classe alta ou média dos grandes centros urbanos, que são, em geral, o foco dos programas de fomento à inovação e das soluções pensadas pelas empresas da nova economia.

Para Vélez, negócios fora do eixo são “peça fundamental para inovação e, consequentemente, para o desenvolvimento de soluções que resolvam, de fato, as principais dores dos brasileiros".

O Nubank não divulgou o número de empresas que serão contempladas pelo programa, mas afirma que serão avaliadas iniciativas nas áreas de serviços financeiros, dados, recursos humanos, marketing digital, jogos, softwares, aplicativos e programação, entre outros.

As inscrições podem ser feitas no site do Nubank até setembro.