ONS vê carga de energia saltar 16% ante abril de 2020, com efeito de quarentenas

O maior avanço percentual esperado é no sul, onde a demanda poderia aumentar 17,9%, enquanto o norte deve fechar o mês com alta de 16%

Luciano Costa, da Reuters
26 de março de 2021 às 14:30
Postes de alta tensão para transmissão de energia elétrica
Postes de alta tensão para transmissão de energia elétrica
Foto: JPLenio/Pixabay

A carga de energia do sistema interligado do Brasil deve disparar 15,7% em abril quando comparada ao mesmo mês de 2020, o primeiro impactado por medidas de governos e prefeituras para conter o avanço local da pandemia de coronavírus, projetou nesta sexta-feira (26) o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Mesmo com um recente recrudescimento da pandemia no país, que registrou recordes de novos casos e mortes nesta semana e tem visto diversos Estados adotarem novas medidas de restrição, o ONS estimou salto de 15,8% na carga do Sudeste/Centro-Oeste frente a abril passado.

O maior avanço percentual esperado é no sul, onde a demanda poderia aumentar 17,9%, enquanto o norte deve fechar o mês com alta de 16% e o nordeste com a menor expansão, de 12,9%, apontou o ONS em boletim semanal.

Apesar das projeções de consumo maiores que em 2020, a carga esperada para abril é cerca de 1,4% menor que a última previsão do ONS para o desempenho da demanda em março.

Em abril de 2020, a carga de energia desabou quase 12% na comparação com o mesmo mês de 2019, sob impacto de medidas restritivas contra o vírus que fecharam o comércio e afetaram o desempenho de indústrias.