Startup de saúde mental vê procura quase triplicar só neste ano

A healthtech Zenklub se mostrou uma opção para as empresas na hora de cuidar da saúde mental de seus colaboradores

Tamires Vitorio, do CNN Brasil Business, em São Paulo
29 de março de 2021 às 05:00 | Atualizado 29 de março de 2021 às 08:16
Saúde mental
Foto: Nik Shuliahin via UnSplash

A saúde mental está em foco desde o ano passado, quando a pandemia do novo coronavírus começou a se espalhar pelo mundo, e foi até tema da redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

Com o distanciamento social, o isolamento e o home office, as empresas tiveram de enfrentar um fato que já vinha cada vez mais se tornando realidade dentro do escritório: a necessidade de cuidar da saúde mental de seus funcionários.

É nesse cenário que a healthtech Zenklub cresceu. O número de companhias que contratou a startup somente nos primeiros dois meses de 2021 aumentou 183%.

Além disso, nas sessões realizadas pela companhia em 2020, as menções aos temas carreira, procrastinação e produtividade aumentaram, respectivamente, 6.349%, 347% e 75%. 

Para o CEO e fundador da companhia, Rui Brandão, dois fatores levaram ao crescimento exponencial da companhia em tempos difíceis. 

"Em 2019, a OMS dizia que a depressão ia ser a doença mais incapacitante do mundo corporativo, mas a pandemia potencializou todo esse impacto. A questão de você ter que se isolar em casa para preservar a sua saúde física abalou a sua saúde mental, e as empresas começaram a perceber isso —e elas quiseram se aproximar de seus colaboradores e mostrar que escritório físico não é sinônimo de produtividade", diz.

"Em segundo, com o trabalho remoto, começamos a perceber que, como clientes, podemos consumir produtos de saúde remotamente", afirma. 

E é exatamente isso que a Zenklub oferece. Entre os principais serviços da empresa está um curso com uma psicóloga sobre como lidar "como o novo anormal", separado em diferentes módulos, como um sobre importância dos cuidados com saúde emocional no ambiente corporativo.

A startup também define, junto ao departamento de recursos humanos das empresas, as melhores práticas e ações para resolver os desafios relacionados à saúde mental dos funcionários. 

Além disso, é possível agendar uma consulta a qualquer hora com um profissional de saúde mental, com disponibilidade para "daqui a dois minutos ou amanhã", de acordo com Brandão. "Como somos uma empresa de tecnologia, conseguimos entender como as pessoas estão se sentindo, o que estão buscando, e conseguimos mostrar para a empresa como está o emocional do funcionário. É um ciclo positivo", define. 

O que surgiu da dor

A Zenklub, segundo Brandão, surgiu há cinco anos, pouco tempo após sua mãe ser diagnosticada com a síndrome do burnout —termo usado para definir um estado de estresse crônico, depressão e esgotamento físico e mental.

Brandão, que é médico, conta que não sabia como ajudá-la na época. "Então, ficou muito claro para mim que não só a questão do tabu inibe as pessoas de cuidarem da sua saúde mental, mas a verdade é que não temos referência de onde ir quando alguma coisa acontece", diz.

"Você sabe em qual especialista ir quando tem alguma dor, ou até em qual academia ir para desenvolver sua saúde física. Não existia, naquela altura, uma marca de referência para a saúde mental. E nós queríamos criar um sistema de saúde mental 100% digital", conta.

Dicas da Zenklub para lidar com o "novo anormal"

Evite excessos: O trabalho é a parte fundamental do seu dia, mas não deve ser a única. Defina as prioridades diariamente, alinhe as expectativas com os seus gestores e respeite os momentos de pausas ao longo do dia. É preciso ter horário para iniciar, terminar e, sobretudo, pausar. Nosso cérebro só permanece focado em algo, no máximo, por 45 minutos, e não ter ao menos uma pausa faz com que você perca qualidade. Por isso, uma boa prática a seguir é conhecida como método pomodoro, em que você executa suas tarefas por 25 minutos e pausa por cinco, e assim sucessivamente.

Exercício para atenção plena: Alguns exercícios simples podem ajudar o profissional a diminuir a ansiedade com as atividades diárias. Assim, por alguns minutos, pare suas tarefas e preste atenção nos seus sentidos. Repare o que há no seu ambiente, nos cheiros, no que está se ouvindo e no que está tocando. O exercício contribui para que você foque no presente, desviando a atenção de sintomas físicos da ansiedade.

Tenha seu espaço para trabalho: Caso esteja em home office, defina um local da sua casa só para o trabalho, de preferência fora do seu quarto. Colocar espaços é muito importante para que seja possível diferenciar o lugar de trabalho do seu local de descanso. Desta forma, sua mente assimila que ali é seu único lugar de trabalho, o que causa menos estresse e aquela sensação de estar trabalhando 24 horas.

Busque se comunicar: O ser humano é por si um ser social. Mesmo no momento em que o isolamento é necessário, é importante utilizar as ferramentas tecnológicas para se comunicar, seja com os colegas de trabalho ou com familiares e amigos. Faça videochamadas e torne a prática mais rotineira possível.

Seja gentil consigo mesmo: Não se cobre por não render o mesmo do período anterior à pandemia. O momento é inédito para gerações e traz impactos e mudanças profundas para todos. Mesmo em um período de grande preocupação, procure ser gentil consigo mesmo, separe um tempo no dia para atividades prazerosas, como tomar aquele banho um pouco mais demorado, pedir sua comida preferida, ler um bom livro. Ninguém consegue viver somente em função do trabalho. Por isso, não se sabote e cuide-se.