Governo começa semana de leilões com aeroportos, ferrovia e portos; veja ativos

Começa nesta quarta-feira (7) a Infra Week, período de três dias em que o governo pretende vender 28 ativos públicos, entre aeroportos, portos e ferrovia

do CNN Brasil Business, em São Paulo*
07 de abril de 2021 às 05:00 | Atualizado 07 de abril de 2021 às 12:04
aeroporto
Foto: Pascal Meier/Unsplash

Começa nesta quarta-feira (7) a Infra Week, período de três dias em que o governo pretende vender 28 ativos públicos entre aeroportos, portos e ferrovia. A expectativa é que o movimento capte R$ 10 bilhões em investimentos e gere 200 mil empregos diretos e indiretos, segundo o Ministério da Infraestrutura.

Entre os ativos, 22 aeroportos, como Manaus, Goiânia e Teresina, devem ser leiloados no dia 7; a Fiol 1, primeiro trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, entre Ilhéus e Caetité, na Bahia, será negociada no dia 8; e cinco terminais portuários, no Maranhão e em Pelotas (RS), serão oferecidos ao mercado no dia 9.

Quarta (7) - Aeroportos 

Com concessões de até 30 anos, o governo espera captar até R$ 6,1 bilhões em investimentos com 22 aeroportos. Trata-se, inclusive, de um negócio represado, que já era prometido para o ano passado. Ao todo, são três blocos: Sul, Norte I e Central. 

O Bloco Sul é formado por nove terminais (investimento total de R$ 2,8 bi): Curitiba, Bacacheri, Foz do Iguaçu e Londrina (PR), Navegantes e Joinville (SC), e Pelotas, Uruguaiana e Bagé (RS). 

Já o Bloco Norte I possui sete aeroportos (R$ 1,8 bi): Manaus, Tabatinga e Tefé (AM), Porto Velho (RO), Boa Vista (RR), e Rio Branco e Cruzeiro do Sul (AC). 

E o Bloco Central, por sua vez, conta com outros seis (R$ 1,4): Goiânia (GO), Palmas (TO), São Luís e Imperatriz (MA), Teresina (PI) e Petrolina (PE). 

Quinta (8) - Ferrovia 

No dia 8, será leiloada a Fiol 1, o primeiro trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, entre Ilhéus e Caetité, na Bahia. O trecho, de 537 quilômetros, pode prospectar até R$ 3,3 bilhões de investimentos em 35 anos de concessão, sendo R$ 1,6 bilhão para a conclusão das obras. 

O governo espera concluir ainda a implementação de mais dois trechos para a ferrovia: entre Caetité (BA) e Barreiras (BA), e de Barreiras (BA) a Figueirópolis (TO). Com isso, poderá conectar o porto de Ilhéus à também ferrovia Norte-Sul. 

Sexta (9) - Portos 

Na sexta-feira (9), ocorrerá o arrendamento de cinco terminais portuários, sendo quatro no Porto de Itaqui (IQI03, IQI11, IQI12 e IQI13), no Maranhão, e um no Porto de Pelotas (PEL01), no Rio Grande do Sul. O governo prevê pelo menos R$ 600 milhões em melhorias nesses terminais.

As quatro áreas no porto nordestino são voltadas ao armazenamento de granéis líquidos, de acordo com a principal vocação do empreendimento. O complexo funciona como distribuidor para as regiões Norte e Nordeste, por meio da navegação de cabotagem. No total, os quatro terminais totalizam mais de 120 mil metros quadrados.

O terminal (PEL01) do porto de Pelotas (RS), por outro lado, é voltado para carga em geral, em especial toras de madeira, contribuindo para a cadeia logística da produção de celulose, e tem área de cerca de 23 mil metros quadrados. 

Rodovia (29/4)

Ainda em abril, mais precisamente no dia 29, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) realiza o leilão da BR-153/080/414/GO/TO. A perspectiva, segundo o Estado, é de mais R$ 8 bilhões de investimentos e mais de 140 mil postos de trabalho.

Governo quer levantar R$ 100 bi em investimentos em 2021

Em entrevista à CNN na última segunda-feira (5), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou que o governo planeja conceder pelo menos 50 ativos para a inciativa privada ainda neste ano, com potencial de levantarem entre R$ 100 bilhões e R$ 130 bilhões de investimento. 

“Até o fim do ano, devemos transferir mais 50 ativos para a iniciativa privada, o que significa mais R$ 100 bilhões, R$ 130 bilhões em contratos assinados”, afirmou.

Até o fim de 2022, de acordo com o ministro, a expectativa é de que mais de 100 ativos da União já tenham ido para a gestão da iniciativa privada. "Devemos chegar ao fim do ano que vem com mais de 100 ativos transferidos, que representam R$ 260 bilhões em contratos privados. Para se ter uma ideia, R$ 260 bilhões significa contratar 40 vezes o orçamento anual do Ministério da Infraestrutura. O foco realmente é na participação do setor privado."

*Com informações da Agência Brasil