Mesmo com auxílio, 43% dos beneficiários terão renda menor que antes da pandemia

Cerca de 20 milhões de beneficiários vão receber R$ 150 de benefício e não vão conseguir repor sua renda com este valor

Alisson Negrini, da CNN, em São Paulo
08 de abril de 2021 às 11:18

 

Uma pesquisa feita pela Fundação Getúlio Vargas mostrou que, mesmo com o recebimento do auxílio emergencial, 43% dos beneficiários vão ver sua renda diminuída em comparação com os rendimentos obtidos antes da pandemia.

Eles fazem parte do grupo de 20 milhões de beneficiários que vão receber R$ 150 de auxílio e não vão conseguir repor sua renda com este valor.

O estudo pesquisou a renda das pessoas antes e depois da pandemia e concluiu que entre os homens a diferença de rendimentos é de 2% enquanto que entre mulheres a diminuição foi de 4%.

Logo, o valor do auxílio emergencial não será capaz de suprir todas as necessidades dos beneficiários. No entanto, sem o benefício, a renda dos homens seria 20% menor e das mulheres, 29% mais baixa.

Na segunda rodada do programa do governo, 45 milhões de brasileiros vão receber o auxílio emergencial, sendo que deste total 9 milhões são mulheres chefes de família que vão receber R$ 375. Já 16 milhões vão receber  R$ 250, enquanto outros 20 milhões que moram sozinhos vão receber R$ 150. 

SP - AUXÍLIO/EMERGENCIAL
No primeiro dia de liberação do auxílio, agência da Caixa registra fila mesmo sem autorização para saque
Foto: DANIEL CYMBALISTA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO